Está estressada? Observe peixes em um aquário e relaxe

A colunista Cacá Filippini compartilha dados científicos e experiências que provam que ambiente marinho é um poderoso anti-stress

Por Cacá Filippini Atualizado em 9 jun 2018, 15h38 - Publicado em 8 jun 2018, 19h19

Durante a infância, na sala da minha casa, havia um grande aquário que eu adorava observar. Não sabia por quê, mas olhar os peixinhos me trazia um sentimento muito bom. Por isso, quis que meus filhos tivessem a mesma experiência – embora não seja possível ter esses animais no nosso apartamento hoje em dia.

  • Em janeiro deste ano, levei Rafael, meu caçula de 9 anos, ao Aquário Marinho do Rio de Janeiro – AcquaRio, o maior da América do Sul. Com 26 mil m2 de área construída e 4,5 milhões de litros de água, o estabelecimento conta com 8 mil animais de 350 espécies diferentes. Não sei quem ficou mais animado, eu ou o Rafa!

    Escapes: Caccá Filippini fala sobre os benefícios do contato com os peixes
    Meu filho Rafael ficou maravilhado com os peixes no AcquaRio. Cacá Filippini/Arquivo pessoal

    E tudo fez sentido quando descobri que a ciência comprovou aquilo que, no fundo, eu já sabia: o ambiente marinho faz bem pra gente! Foi em um aquário de 550 mil litros exposto no National Marine Aquarium, em Plymouth (Reino Unido), que estudiosos das universidades de Plymouth e de Exeter observaram os efeitos fisiológicos e mentais de peixes em aquários sobre as pessoas.

    Os pesquisadores notaram que, ao simplesmente olhar a luz subaquática cintilante, havia um relaxamento nos participantes do estudo. E, à medida que mais e mais espécies eram introduzidas ao aquário, menor era a frequência cardíaca e a pressão arterial dos voluntários.

  • Os contempladores também relataram que o humor melhorou após passarem um tempo em exposições aquáticas. Além disso, os autores do estudo viram que, quanto mais coloridos forem os peixes e maior a biodiversidade, mais evidentes são os benefícios aos humanos.

    Deborah Cracknell, pesquisadora líder do National Marine Aquarium, conduziu o artigo e acredita que ele tem um papel muito importante. “Aquários são frequentemente usados para acalmar pacientes em consultórios médicos e em salas de espera. Esse estudo, pela primeira vez, forneceu elementos robustos para provar que ‘doses’ de exposição a decorações subaquáticas poderiam realmente ter um impacto positivo no bem-estar das pessoas.”

    Continua após a publicidade

    No fundo do mar – literalmente!

    Escapes: Caccá Filippini fala sobre os benefícios do contato com os peixes
    Embarcando no submarino que me levou ao fundo do mar no Caribe Cacá Filippini/Arquivo pessoal

    Levei minha experiência com os animais marinhos a outro nível quando visitei, no último mês de abril, o fundo do mar em Barbados, no Caribe, a bordo de um submarino. Foi uma experiência única!

    Tudo começou em uma embarcação com casco raso, a Ocean Quest, em que recebemos todas as orientações de segurança. Poucos minutos depois, vimos emergindo, naquele mar azul-turquesa, um submarino enorme! As crianças e os adultos (principalmente aqueles que leram 20 mil léguas submarinas, de Jules Verne) foram tomados pela empolgação.

  • Mergulhamos até uma profundidade de 17 metros e tudo o que víamos eram recifes de corais e uma infinidade de peixes… Um espetáculo! Todos ficavam parados diante das grandes janelas, observando e sussurrando sobre as belezas. A descida continuou até atingirmos entre 25 e 45 metros, onde sentimos toda a calmaria e observamos as mais raras espécies de peixes e plantas marinhas.

    A jornada subaquática dura 40 minutos (que, na verdade, parecem cinco) e saímos com vontade voltar. Vem viver um pouquinho comigo e meu pequeno esse escape nas profundezas do mar:

    Experimente novos #escapes, faça menos do mesmo e até a próxima semana!

    Continua após a publicidade
    Publicidade