3 motivos para incluir o futebol na sua rotina esportiva

Nossa editora de fitness, Daniela Bernardi, conta como foi participar de uma pelada feminina em pleno clima de Copa do Mundo

Por Daniela Bernardi - Atualizado em 17 jun 2018, 10h53 - Publicado em 17 jun 2018, 07h15

No clima de Copa do Mundo, participei de uma pelada feminina em plena quinta-feira. Fiz dois gols e ainda terminei a noite comendo provolone à milanesa e bebendo cerveja com mulheres que entendem muito de futebol.

1. Libera energia e stress

Discussões à flor da pele por qualquer dividida não têm espaço nas partidas do Madalenas Futebol e Cerveja, time feminino amador que se reúne para bater uma bolinha na zona oeste de São Paulo. Pelo contrário, quem não possui tanta habilidade (como eu) é mais que bem-vinda para extravasar na quadra a pressão da rotina.

Cada jogo dura oito minutos: quem vencer fica, mas só por duas rodadas – se ganhar de novo, ambos os times saem. Parece pouco tempo em ação, mas os sprints que damos de um lado para o outro aceleram demais o coração e o corpo nem consegue esfriar enquanto espera a próxima vez de entrar
em ação.

2. Todas são bem-vindas

Perguntei às jogadoras se elas sofrem discriminação do público masculino e, para minha (feliz) surpresa, todas disseram que o cenário já melhorou bastante – pelo menos no futebol amador.

Hostilidade ainda existe: algumas delas quase foram proibidas
 pela família de praticar o esporte porque seria “uma tendência a virar lésbica”. Ah… Quanta ignorância! Diferentemente das ruas e das baladas (onde o assédio sobre
as mulheres parece normatizado), em quadra, todo mundo se respeita. Sabe outra intolerância que não existe? Com o corpo: baixinhas, altas, gordinhas e magrelas têm espaço (e muito fôlego) com
a bola nos pés.

GymPass BOA FORMA: treine em mais de 12 mil academias por um valor fixo

3. Queima calorias de um jeito divertido

Como qualquer pelada pede, também acabamos a noite bebendo cerveja e comendo provolone à milanesa (uma exceção na semana vale, né?). Não sei dizer se foi mais divertido compartilhar
 a emoção dos jogos ou as histórias engraçadas em volta da mesa do bar. Cheguei em casa com uma sensação de leveza e de que havia voltado à escola, onde praticava esporte entre risadas e fofocas.

Continua após a publicidade
Publicidade