Esporte na gravidez: liberado ou não?

A atleta Diana Reyes omitiu a gestação e gerou polêmica na seleção de vôlei de Porto Rico. Será que as futuras mamães devem suspender a atividade física?

Por Redação Boa Forma Atualizado em 6 fev 2017, 14h17 - Publicado em 11 ago 2016, 09h57

A notícia de que uma jogadora desembarcou na Olimpíada do Rio grávida foi motivo de discussão entre os atletas participantes. A jovem em questão é Diana Reys da seleção de vôlei de Porto Rico, que evita falar sobre o assunto, mas afirma que informou aos dirigentes e à comissão técnica que está liberada pelos médicos para participar dos treinos e jogos. Mesmo assim, ela não foi escalada para nenhuma partida até o momento.

Veja também: Grávidas podem correr, sabia? Descubra outros exercícios liberados

A prática de esportes durante a gravidez é um assunto polêmico. Mas esse período não precisa ser encarado como empecilho para a atividade física. “A mulher que tem o hábito de fazer um determinado exercício pode continuar a praticá-lo até o fim da gestação, quando autorizada pelo médico”, afirma o ginecologista e obstetra Julio Bernardi, da Clínica Bernardi, em São Paulo. De qualquer maneira, a futura mamãe deve evitar as manobras que podem colocar o bebê em risco. “No caso da atleta, seria prudente ela não realizar movimentos bruscos, como os rolamentos e o famoso peixinho. É melhor Diana se restringir a ações básicas do vôlei: saques, cortadas, manchetes e toques na bola – eles são inofensivos à criança”, finaliza o médico.

E mais: esta grávida que pratica ioga conquistou a internet

Publicidade