Nossa repórter passou um fim de semana com os Mahamudras e… confira o que aconteceu!

Depois da primeira aula você se sente mais motivada a continuar malhando e fazendo escolhas certas. Não é clichê, eu garanto!

Quando recebi o convite para passar um fim de semana ao lado dos Mahamudras, pensei: será que vou conseguir acompanhar essa turma? Não que eu seja sedentária. Longe disso! Faço pilates, ballet fitness (aula que escolhi para o #DesafioTeamBF) e estou sempre experimentando uma nova modalidade de dança. Confesso: foi um misto de medo com ansiedade. Mas, para a minha surpresa (e felicidade) meu desempenho foi bom – apesar de ter acordado no dia seguinte sentido todos os músculos do meu corpinho. Sim, você leu certo: todos os músculos.

O ambiente era incrível: Beach Park, em Fortaleza. Existe motivação melhor do que essa? As duas aulas, uma no sábado (09) e outra no domingo (10), foram ministradas por Paulo Rigatto e Ale Oliveira, coachs e educadores físicos do Mahamudra Brasil. E para dar uma força para os alunos (e um incentivo extra) Erasmo Vianna e Jonas Sulzbach, co-fundadores do projeto também estavam presentes.

O treino começou com alguns movimentos de ioga, meditação e alongamento. Depois, passamos para o aquecimento, que incluiu polichinelos, agachamentos e pranchas isométricas (movimentos aeróbicos + força). Para finalizar, alguns exercícios do CrossFit, como burpees, flexões (haja resistência, menina!) e corrida na areia fofa (perninhas adormecidas, eu sei). Quando pensava que não ia aguentar, tinha alguém dizendo: não para, não. Fica firme! E não é que essa tal de endorfina, substância ligada à sensação de prazer e bem-estar, vicia?

Sai cansada da primeira aula, mas com vontade de incluir mais #atitudeboaforma no meu fim de semana. Pode ter sido o clima fitness, a praia ou a turma. O fato é que, no domingo de manhã, eu fui correr na orla do hotel. Detalhe: aguentei o segundo round de treino Mahamudra e ainda tive forças para fazer carregamento de mala no aeroporto.

 

O que aprendi com a experiência?

  1. Você não precisa ser expert na modalidade para testar. Eu, por exemplo, só tinha feito CrossFit umas duas vezes (no máximo!). 
  2. Em grupo ou em dupla é mais fácil. Obrigada José Fontenele e Flavia Melo, companheiros de treino que deixaram tudo mais leve e divertido!
  3. Respeite o seu ritmo. Eu não malho como a Bella Falconi ou Gabi Pugliesi, mas isso não me impediu de fazer a aula até o final. Então, sem stress. Faz no seu tempo!
  4. Pode ser bobeira, mas o ambiente – praia, no meu caso – influencia (muito!). Então, se você não está feliz na academia tente algo diferente, como parque ou piscina.
  5. Não deixe o medo te consumir. Se eu tivesse deixado o pensamento negativo predominar (não vou conseguir, não vou conseguir), eu não teria feito as aulas e, provavelmente, não teria boas histórias para contar.

Confira os melhores momentos do treino: 

 

 

 

 

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s