Raquel Freestyle: a atleta que conquistou o mundo com suas embaixadinhas

Boa Forma te apresenta mais uma atleta feminina para ficar de olho!

Por Larissa Serpa Atualizado em 27 set 2021, 12h27 - Publicado em 16 out 2021, 12h05

Ela está entre os top 10 atletas mais influentes do Brasil, segundo o Ibest, ao lado de atletas como a Marta, do futebol e possui milhões de seguidores nas redes sociais. Boa Forma falou com Raquel Freestyle para te apresentar mais essa atleta feminina que você deve ficar de olho!

FUTEBOL FREESTYLE?

É isso mesmo. Diferente do jogo que estamos acostumados, com 11 jogadores em campo tentando golear contra o time rival, o futebol freestyle é uma modalidade onde a disputa é realizada individualmente, o famoso “um contra um”, onde o que se conta são as manobras — e não os gols.

Segundo o site oficial da modalidade, o Futebol Freestyle (também chamado de Futebol Estilo Livre) teve influências do jogador Maradona e só ganhou importância de 2005 em diante, talvez pelas propagandas e campanhas publicitárias feitas pelos jogadores Ronaldinho Gaúcho, Cristiano Ronaldo e Robinho que tiveram grande repercussão na mídia.

raquel freestyle
Raquel também trabalha como modelo / Assessoria de Imprensa/Divulgação

O INÍCIO PARA RAQUEL

Hoje, ela soma mais de 3 milhões de seguidores distribuídos entre as redes sociais, sendo 1,5 milhões no Instagram, 1,1 milhões no TikTok, 9.166 no Twitter e 1,77 milhões no Youtube. Mas o início não foi fácil.

Nascida Raquel Tateishi Benetti, na cidade de São Paulo em 1990, Raquel começou a fazer embaixadinhas incentivada pelo pai, Nilton Benetti, aos 8 anos. Também aos 8 anos de idade, ela começou a jogar futebol, onde chegou a jogar pelo time feminino sub 20 do Corinthians durante três anos.

A partir de 2009, com 19 anos, Raquel começou a trabalhar como modelo e a fazer embaixadinhas em campanhas e eventos e, em 2015, foi a única representante feminina do Brasil convidada no Wass Freestyle Cup, que é uma competição aprovada pela Federação Internacional de Futebol Freestyle.

Mas Raquel relata que já sentiu muita dificuldade para chegar onde chegou. O machismo sempre foi uma grande barreira para que ela pudesse crescer na área.

Continua após a publicidade

“O preconceito com a mulher no futebol é gigante, nem mesmo os meus pais me apoiavam, a falta de patrocínio no esporte também me prejudicou muito”, afirma Raquel.

TRABALHOS NO ESPORTE

Ainda segundo o site oficial, os “freestylers”, como são chamados, acabam fazendo carreira com apresentações em televisão, evento esportivo, feiras e congressos, intervalo de jogos, shows e eventos corporativos e empresarias. E, para Raquel, não é diferente.

Seu último grande trabalho foi para a campanha de lançamento do kit de jogos da Ligue1, maior campeonato Francês e que reuniu talentos da França e do Brasil, para o lançamento da nova temporada (que começou dia 06 de agosto).

A atleta também está sempre em diversas ações publicitárias de marcas como a Nike, por exemplo.

Com o esporte, Raquel já foi para países como Mônaco, China, Indonésia, Malásia e mais outros 14 países, para participar de competições e até mesmo para palestrar sobre suas experiências.

No seu canal do Youtube, ela faz conteúdos com grandes nomes do esporte, entre eles o atual campeão mundial Ricardo Chanini.

PRÓXIMOS PASSOS

Seus próximos objetivos na carreira é escrever um livro sobre a sua vida, virar palestrante motivacional e bater o recorde mundial de embaixadinhas e entrar para o Guiness Book.

Sua intenção é quebrar o recorde de 55.197 batidas na bola sem interrupção estabelecido por Milene Domingues em 1997, e também o de tempo (8 horas e 24 minutos) estabelecido por Claudia Martin, em 2006.

E nós de Boa Forma estamos de olho para acompanhar essa trajetória.

Continua após a publicidade

Publicidade