As pessoas estão praticando ioga na neve – conheça o snowga

É isso mesmo: depois de salas aquecidas, a moda da vez é praticar ioga em montanhas cheias de neve

Por Marcela De Mingo Atualizado em 3 Maio 2022, 11h30 - Publicado em 5 abr 2022, 08h00

Fazer ioga pode ser um grande desafio no começo, mas os seus milhares de adeptos vão concordar que é uma atividade deliciosa para colocar na rotina. No entanto, uma novidade tem chamado a atenção dos praticantes, o chamado snowga: a prática de ioga na neve! 

QUAIS AS VANTAGENS DO IOGA? 

Antes de entrar nos detalhes do ioga na neve, vamos relembrar as vantagens da prática. Em primeiro lugar, ele torna o praticante em alguém que sabe lidar com as próprias emoções, ou seja, alguém mais tolerante, eficiente em suas atitudes e mais concentrado

“Tem todo esse lado emocional que, na minha opinião, é algo muito válido, e tem parte física”, diz a professora Anita Carvalho, do Urban Yoga. “Ela torna a pessoa com uma saúde física muito melhor. Normalmente quem pratica yoga consegue ter um bom rendimento em qualquer outra atividade física, então para todo tipo de atleta o yoga é muito benéfico, a capacidade pulmonar melhora demais… A pessoa rende muito mais em qualquer outra atividade que ela faça.” 

Uma das maiores vantagens é que o ioga não tem contraindicação nenhuma para ninguém – basta um bom professor para orientar a prática adequada para o seu corpo físico e situação que você está vivendo naquele momento. Até mesmo gestantes e idosos podem se beneficiar do exercício. 

IOGA EM QUALQUER LUGAR? SIM!

Outro ponto positivo é que o ioga pode ser praticado em qualquer ambiente. “É só a pessoa estar confortável”, continua a professora. 

Nisso entra também a questão da temperatura. Você já deve ter ouvido falar do hot yoga, certo? Na prática, os asanas são executados em uma sala aquecida, com o intuito de otimizar e potencializar a perda calórica e o esforço físico. Essa, aliás, é uma novidade ocidental – não existem variações de temperatura no ioga tradicional, nem para o calor, nem para o frio. 

Continua após a publicidade

“O yoga é uma ciência irmã da ayurveda, a medicina usada no yoga”, diz a professora. É tudo explicado pelos três doshas que definem a medicina ayurvédica: vata, pitta e kapha. Para uma pessoa pitta, por exemplo, o calor pode ser bastante prejudicial. Já o frio pode trazer uma série de complicações para a pessoa vata, que naturalmente sente mais frio.  

“Tanto o quente demais quanto o frio demais podem prejudicar, apesar de sabermos que o frio, essa questão de mergulhar no gelo, por exemplo, traz um benefício enorme para as articulações, para a musculatura, para tudo”, continua Anita, ao lembrar que a questão, no entanto, não tem relação direta com o ioga. 

View this post on Instagram

A post shared by Kateřina Bubeníčková (@moony_yoga)

 

NEVE + IOGA = SNOWGA

O termo snowga vem da junção das palavras “snow” (neve, em inglês) e ioga, e define a prática em um ambiente ao ar livre com neve. É difícil saber exatamente quando esse movimento começou – existem relatos do começo dos anos 2010 de pessoas que já experimentavam praticar na neve, mas no último ano o snowga voltou a ser um tópico em alta – talvez como um resultado dos anos de pandemia e a busca por mais tempo ao ar livre, mesmo sob temperaturas congelantes. 

É difícil saber se a ioga na neve realmente tem benefícios tão diferentes dos normais – além do contato com uma temperatura extrema e o choque que o calor gerado na prática pode ocasionar. Mas é, no mínimo, curioso perceber essa tendência crescendo lá fora, com grupos inteiros se reunindo em montanhas cheias de neve para fazer suas saudações ao sol. 

No entanto, independentemente de ser para mais ou para menos, é importante considerar que esses extremos podem gerar questões sérias de saúde. No caso do calor, por exemplo, as chances de lesões são muito maiores, uma vez que o corpo aquecido neutraliza as dores e desconfortos. E, no frio exagerado, sempre existem as chances de quedas e congelamentos das extremidades. 

Continua após a publicidade

Publicidade