As pancs de que a Bela Gil mais gosta – e como incluí-las no cardápio

A culinarista e apresentadora destacou cinco plantas alimentícias não convencionais que estão sempre nos pratos que ela prepara

Por Amanda Panteri, Gislene Pereira - Atualizado em 15 jun 2018, 19h42 - Publicado em 15 jun 2018, 19h35

Existem cerca de 300 mil espécies de plantas comestíveis no mundo inteiro. Muito, não?! O dado mais chocante é que nós costumamos comer apenas 200 delas (cerca de 0,06%). Os dados da FAO (Organizações das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) foram comentados em uma das palestras realizadas na Arena do Conhecimento da última edição da Natural Tech, feira de produtos naturais que aconteceu entre os dias 5 e 8 de junho, em São Paulo.

A verdade é que as pancs (plantas alimentícias não convencionais) podem ser tão gostosas e até mais nutritivas do que aquelas a que estamos acostumadas a colocar no prato, como a rúcula, a alface e o agrião… Dentre os adeptos das plantinhas inusitadas, está a culinarista e apresentadora Bela Gil, referência em alimentação saudável.

Mas se já é difícil identificá-las pelos nomes – gabiroba, picão-preto, crista de galo –, preparar receitas com elas parece impossível para as iniciantes. A solução? Adaptar-se aos poucos. As dicas da Bela, por exemplo, são de alimentos que podem ser encontrados no mercado e que exigem métodos de preparo mais fáceis.

Pinheiro

https://br.pinterest.com/pin/461056080592393070/

Sim, é a árvore do natal. “Conheci o suco da folha de pinheiro quando morava em Nova York”. Na época, o meu médico recomendou para tratar dores que sentia nas articulações. E funcionou!

Jaca verde

https://br.pinterest.com/pin/466122630159330228/

Continua após a publicidade

Fonte de carboidratos e fibras, a jaca verde libera energia aos poucos, sendo muito recomendada nos lanches pré-treino. O segredo é que dá para utilizar a fruta inteira, e não só a carne. “Consigo fazer de tudo, desde cozinhar o caroço para comer que nem pinhão até fritar a goma para incluir em uma refeição.”

Coração de bananeira

https://br.pinterest.com/pin/377880224956961358/

Dica da especialista: “É preciso fervê-lo algumas vezes até tirar todo o amargor. Preparar uma caponata com ele fica uma delícia”, conta.

Caruru

https://br.pinterest.com/pin/475411304395162114/

Não estamos falando do prato típico baiano que leva quiabo e leite de coco, mas de uma planta de fácil adaptação conhecida também como “bredo”. Com ela, Bela conta que faz refogados em substituição de folhas verdes-escuras comumente consumidas (espinafre e couve, por exemplo).

Folhas de árvores frutíferas

https://br.pinterest.com/pin/473863192014959070/

Em vez de colocar couve no seu suco verde pela manhã, experimente acrescentar folhas de limoeiro. “Fica com um gostinho de limão delicioso”.

Continua após a publicidade
Publicidade