Sífilis: proteja-se da DST que cresceu 32% nos últimos tempos

Conheça os riscos e os sintomas da doença e saiba como se prevenir

Por Cristina Nabuco Atualizado em 13 mar 2017, 15h43 - Publicado em 12 mar 2017, 07h07

Doenças do tempo de nossas avós estão voltando com força – os casos de sífilis aumentaram em 32,7%, de acordo com o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, em 2016.

Por ser silenciosa no início, ela passa despercebida, mas depois pode provocar feridas na região genital e manchas na pele. E pior: quando não tratada, lesa o sistema nervoso central a ponto de causar demência.

A boa notícia é que há cura para a sífilis – assim como para a maioria das infecções sexualmente transmissíveis (novo termo para DSTs).

Leia mais: Quando o sexo fica perigoso

Porém, o melhor é evitá-las usando camisinha. “A versão feminina é ainda mais segura porque cobre uma região maior”, destaca a infectologista Camila Rodrigues, do Hospital das Clínicas da USP.

Então já sabe: para festejar sem encanação, entre para o time das protegidas!

  • Continua após a publicidade
    Publicidade