Continua após publicidade

Proteína demais pode fazer mal para o cabelo?

Sim, assim como todo excesso, proteína demais pode deixar os fios quebradiços e sem movimento

Por Marcela De Mingo
Atualizado em 20 nov 2022, 20h58 - Publicado em 23 nov 2022, 08h00

Muito já foi falado sobre a importância das proteínas para o cabelo – tanto que existem muitos produtos capilares fortificados com esse macronutriente. Mas, como tudo relacionado à saúde, é preciso ter cuidado com os excessos. Por isso, hoje vamos discutir o que pode acontecer se você oferecer proteína demais para o seu cabelo. 

QUAL A RELAÇÃO AS PROTEÍNAS E O CABELO? 

“O cabelo é formado por queratina, uma proteína rica em enxofre e derivada da cistina”, explica a terapeuta capilar do Jacques Janine Jardins, Bruna Nunes. “As proteínas têm como principal função estruturar a fibra trazendo força e vitalidade para ela.”

Ou seja, como a proteína é uma parte essencial da estrutura básica do cabelo, ela é necessária para que os fios estejam sempre saudáveis. Entra aí o primeiro ponto: é preciso, claro, consumir proteínas o suficiente para que o organismo receba as quantidades necessárias desse macronutriente – o bastante para cumprir com as funções do corpo e, especificamente, do cabelo. 

A biotina é uma proteína bastante famosa quando se fala em cuidados capilares, porque atua diretamente no desenvolvimento da fibra capilar. Por isso, quando está em falta no organismo, a reposição de proteína é muito eficiente nos cuidados com os fios. 

EXCESSO DE PROTEÍNA FAZ MAL PARA O CABELO? 

Continua após a publicidade

“O excesso pode, sim, danificar os fios”, explica a Dra. Thais Mussi, endocrinologista e metabologista. “Por esse motivo, o recomendado é que a ingestão diária fique numa média de 45g para mulheres e 55g para homens.”  

Por isso também é importante ficar sempre atenta aos sinais que o seu cabelo dá. Quando existe excesso, o cabelo pode ficar com uma aparência muito ressecada e os fios ficam quebradiços, parecendo palha. As pontas duplas, os emaranhados e até a falta de brilho também podem indicar que há proteína demais na região. 

Nesses casos, o ideal é ir na direção contrária: buscar produtos que ajudem a nutrir os fios e devolver a emoliência natural das hastes – investir em boas hidratações é bem importante aqui. 

COMO SABER SE O CABELO PRECISA DE MAIS PROTEÍNA? 

Ok, já entendemos o que acontece quando há excesso. Mas e quando há falta? 

Continua após a publicidade

Segundo Bruna, se o seu cabelo está com uma aparência fragilizada, mesmo quando não há nenhum tipo de química, é um sinal de que esse macronutriente está em falta. 

“O corpo sinaliza quando precisa de cuidado, e com o cabelo não é diferente”, complementa a Dra. Thais. “Se os fios estiverem porosos, sem elasticidade, opacos e embaraçando com facilidade, pode ser falta de proteínas.” 

Nesses casos, além de, claro, fazer os ajustes necessários na alimentação, existem outras formas de repor a proteína perdida pelos fios. 

“Porém, é importante saber que a estruturação da fibra é feita dentro da derme, onde se instala o folículo piloso, então, a suplementação é muito importante”, explica Bruna. “Mas a reconstrução é uma ótima alternativa para repor proteína a fibra de forma tópica.”

Na dúvida de qual a necessidade momentânea do seu cabelo, vale a pena procurar um especialista, como um dermatologista ou um tricologista, para tirar as suas dúvidas. 

Continua após a publicidade
Publicidade