Imagem Blog

BOA FORMA responde

Vamos atrás dos melhores especialistas para tirar suas dúvidas
Continua após publicidade

Para aliviar dor nas costas, é melhor usar compressa quente ou fria?

Por Dr. Daniel Oliveira
22 Maio 2024, 08h00

As dores nas costas podem ser decorrentes de uma variedade de fatores, sendo frequentemente associadas à condições como postura inadequada ao sentar, ficar em pé ou se movimentar estiramentos ou rupturas devido a movimentos bruscos ou levantamento de peso de maneira incorreta, desgastes das estruturas da coluna, estresse, hérnia de disco, estenosa espinhal e escoliose.

O aumento na prevalência de dores nas costas pode ser atribuído a aspectos como o estilo de vida sedentário e a falta de atividade física regular, que enfraquece os músculos do suporte espinhal, aumentando o risco de lesões, tempos prolongados em frente a computadores e dispositivos móveis, o excesso de peso e condições degenerativas da coluna que são comuns à medida que envelhecemos.

Para aliviar dor nas costas, é melhor usar compressa quente ou fria?

A compressa fria é geralmente recomendada nas primeiras 48 horas após uma lesão aguda, pois o frio ajuda a reduzir o inchaço e a inflamação. Já a compressa quente é apropriada para dores crônicas ou para relaxar músculos tensionados após os primeiros dois dias de uma lesão.

O uso de compressas para aliviar a dor nas costas depende da natureza da dor. Para a compressa fria, o ideal é envolver o gelo ou uma bolsa de gel congelada em uma toalha fina para evitar queimaduras na pele. Aplique na área afetada por 20 minutos, várias vezes ao dia.

No caso da quente, usar uma bolsa de água quente ou almofada térmica, também envolta em uma toalha, e aplicar por 15-20 minutos, evitando temperaturas excessivamente altas para não causar queimaduras.

Continua após a publicidade

Para lidar com as dores nas costas, também indicamos analgésicos, anti-inflamatórios não esteroides, caminhadas, exercícios de alongamento e fortalecimento e massagens. Em casos de desconfortos mais graves, não deixe de procurar um médico.

Respondido por:

Dr. Daniel Oliveira, ortopedista de coluna e diretor do Núcleo de Ortopedia e Traumatologia de Belo Horizonte (NOT).

Publicidade