BOA FORMA: onde você encontra respostas confiáveis sobre as suas dúvidas de bem-estar BOA FORMA responde Vamos atrás dos melhores especialistas para tirar suas dúvidas

O que é e como tratar a endometriose intestinal?

Por Alexandre Bertoncini Atualizado em 29 jul 2022, 13h31 - Publicado em 2 ago 2022, 10h00

A endometriose é uma doença caracterizada pela presença de tecido semelhante ao endométrio (revestimento interno do útero) localizado fora da cavidade uterina, o que gera a cada ciclo menstrual da mulher, um processo inflamatório no local em que está localizado. A pelve é o local mais frequentemente acometido, podendo também invadir os órgãos do aparelho digestivo como o intestino grosso, intestino delgado e apêndice cecal.

Chamamos de endometriose intestinal quando a endometriose invade ao menos a camada muscular da parede intestinal e isso ocorre em cerca de 40% das pacientes com endometriose profunda e entre 8 e 12% de todas as mulheres com endometriose.

SINTOMAS

Não existe sintoma específico da endometriose intestinal uma vez que os sintomas intestinais podem ocorrer em qualquer paciente com endometriose, mesmo as que não apresentem lesões no intestino. Porém, quando há pacientes com dores durante as evacuações no período menstrual e presença de sangue misturado às fezes durante o período menstrual, passamos a procurar por indícios de endometriose intestinal.

TRATAMENTO

Continua após a publicidade

Não é pela simples presença de endometriose intestinal que a paciente irá precisar passar por uma cirurgia. 

A lesão intestinal só obriga a cirurgia em casos que envolver o intestino delgado (que, por ser mais fino, tem maior risco de obstruir por causa da endometriose) e/ou o apêndice cecal (pois a presença de um nódulo no apêndice, mesmo em uma paciente com endometriose, não afasta a possibilidade de ser na verdade um tumor maligno do apêndice e, por segurança, acabamos por indicar o tratamento cirúrgico nessas pacientes também). 

O importante é ressaltar que a cirurgia nunca será uma cirurgia apenas intestinal, sendo necessário sempre uma equipe multidisciplinar formada por um ginecologista e um cirurgião do aparelho digestivo ou coloproctologista em conjunto para que todas as lesões sejam tratadas.

PRECISA USAR “BOLSINHA DE FEZES”?

Uma dúvida muito frequente das pacientes é sobre a necessidade de estomias (ileostomia ou colostomia), que são as temidas “bolsinhas”. Essas são medidas comumente utilizadas em algumas cirurgias intestinais, mas raramente são necessárias em pacientes com endometriose e, aqui no Brasil, menos de 1% das cirurgias intestinais por endometriose precisam desse recurso, mesmo que de forma temporária.

Respondido por:

Dr. Alexandre Bertoncini, cirurgião do aparelho digestivo da Clínica Alira

Continua após a publicidade

Publicidade