Saúde no Trabalho, com Bianca Vilela A fisiologista do exercício Bianca Vilela dá dicas de exercícios e abordagens para melhorar a saúde no trabalho

Entender as nuances da mulher para conquistar a saúde que merecemos

A saúde não pode ser só física mas também emocional

Por Bianca Vilela 30 mar 2022, 13h29

Eu quero saber se você tem conseguido dedicar atenção à pessoa que mais importa: você. Eu sei bem como muitas mulheres chegaram ao pico do esgotamento nos últimos meses. Quando o assunto é saúde, muita gente logo se defende dizendo: “estou bem de saúde, não tenho qualquer doença”. O conceito não é de todo errado, mas trata-se de uma definição muito superficial. Muito além da ausência de doenças, é preciso considerar o completo bem-estar físico, mental e social. E como está a mulher neste processo?

Para este tema, eu convidei o Dr, Fabiano Elisei Serra, que é ginecologista, obstetra e expert em saúde da mulher. Segundo ele, se alimentar com opções in natura ou pouco processadas, parar de fumar, ingerir bastante líquido ao longo do dia, se movimentar com frequência (pelo menos 150 minutos por semana), dormir para recuperação do corpo e reduzir as bebidas alcóolicas são pilares fundamentais.

“Nos últimos anos, devido à Pandemia de COVID-19, vimos muitas pessoas adoecerem com ansiedade e depressão devido a, dentre outros fatores, o distanciamento social e o ‘enclausuramento’. O ser humano é sociável por natureza. Fortalecer os vínculos de afeto, manter encontros sociais, ainda que seja com a família, e ‘jogar conversa fora’ fazem muita diferença na conservação da saúde mental”, afirma Dr. Fabiano.

Para manter o bem-estar emocional, devemos buscar atividades que tragam prazer: ler, escrever, assistir filme, meditar, desenhar, praticar algum esporte, caminhar na orla da praia ou escutar música, por exemplo. A busca pelo autoconhecimento e pelo autocuidado deve ser constante e a ajuda de um profissional pode se fazer necessária.

Segundo o especialista, quando abordamos a avaliação de saúde da mulher não podemos nos esquecer da consulta com o médico ginecologista, que muitas vezes é quem identifica a necessidade de intervenções ou de busca por suporte de outro profissional. O médico deve abordar todos os aspectos de forma clara, objetiva e livre de julgamentos, deverá realizar também o exame físico geral e completo e solicitar os exames que forem necessários considerando-se a história clínica e a idade da paciente. Os exames mais comumente solicitados são Papanicolau, mamografia, ultrassonografia de mamas e transvaginal, exames de sangue e urina, incluindo a investigação de infecções sexualmente transmissíveis.

“A manutenção da saúde, a fim de manter a mente sã e o corpo sadio, considerando-se todos esses aspectos, deve ser um exercício diário. Deve ser encarado como um projeto de vida de qualidade e, portanto, algumas regras de conduta devem ser estabelecidas e colocadas em prática. Percorrendo esse caminho, é mais provável de manter a saúde em equilíbrio, com a atividade global do organismo em pleno funcionamento e desenvolvimento”, conclui o expert.

Precisamos voltar a perceber nossas nuances, para que que possamos deixar florescer a nossa natureza. E este é um processo leve e natural.

BIANCA VILELA é autora do livro Respire, mestre em fisiologia do exercício pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), palestrante e produtora de conteúdo. Desenvolve programas de saúde in company em grandes empresas por todo o país há mais de 15 anos. Na Boa Forma fala sobre saúde no trabalho, produtividade e mudança de hábitos. 
Instagram: @biancavilelaoficial 

Continua após a publicidade

Publicidade