Regina Chamon: médica da Lapinha SPA, a @drasanguebom une a medicina com as práticas de bem-estar para te inspirar a cultivar corpo, mente e coração mais saudáveis todos os dias Saúde sem estresse, por Regina Chamon Regina Chamon une a medicina com as práticas de bem-estar para te inspirar a cultivar corpo, mente e coração mais saudáveis

Nervos magoados

A medicina integrativa vai além de apenas analisar os sintomas físicos - é preciso olhar para o ser como um todo

Por Regina Chamon 17 jan 2022, 15h53

“Doutora meu problema são os nervos magoados“.

Achei curioso aquele jeito de falar sobre sua dor. Maria* me contou que sentia muita dor nas pernas e nos pés, uma dor intensa, que pareciam pontadas de mil agulhas somadas e não a deixavam caminhar. Esse tipo de dor chamamos no “mediquês” de neuropatia – vem do grego neuro- nervo, e pathos- doença, sofrimento.

“Conta mais, Maria.” “Tudo começou quando meu marido faleceu. Antes era uma pontada aqui outra lá. Eu já não tinha mais que preparar comida, também fui comendo menos. E não tinha ânimo de cuidar das plantas. Fui ficando mais sentada conforme as agulhadas iam magoando os nervos”.

Ali entendi que havia sim uma condição biológica que fazia com os nervos da Maria causassem dor e precisava ser tratada com remédios que aliviassem isso, também algumas sessões de reflexologia, massageando os pontos das solas dos pés que são relacionados aos meridianos da acupuntura, já que acupuntura mesmo, com agulhas, não seria uma boa ideia para a Maria.

Percebi também que havia outro tipo de nervo magoado, um “nervo da Alma”. Para esse não havia medicação que pudesse curar. Mas existiam outros tipos de remédios: um ouvido acolhedor, um café com bolo, terapia, artes, natureza e uma boa dose de espiritualidade.

Continua após a publicidade

Isso também faz parte da receita quando praticamos Medicina Integrativa, uma abordagem que leva em consideração todas as esferas da pessoa, incluindo a física, emocional, mental, social, espiritual, além do ambiente em que esta pessoa vive. Associar aos remédios já consagrados pela medicina oriental moderna práticas que nos façam perceber nossas necessidades a cada momento e recursos que ajudem a atendê-las.  

Assim cada um é capaz de desenvolver autonomia para cuidar de si, com estratégias mais naturais e menos invasivas, usando remédio apenas quando necessário. Esse jeito de cuidar integralmente da saúde, esse sim eu acredito que pode ajudar a diminuir as mágoas dos nervos da Maria!

Dia 23 de janeiro é o Dia Internacional da Medicina Integrativa

Regina Chamon (@drasanguebom) é médica da Lapinha Spa. Une a medicina com as práticas de bem-estar para te inspirar a cultivar corpo, mente e coração mais saudáveis todos os dias.

* nome fictício

Continua após a publicidade

Publicidade