Dieta mediterrânea: como adaptar para o cardápio brasileiro

A famosa dieta ganhou uma versão com ingredientes bem brasileiros. Ou seja, muito mais fácil de seguir!

Você já deve ter ouvido ou lido que a dieta mediterrânea é uma das mais saudáveis para o coração. Por isso, uma versão brasileira foi adaptada, em 2012, pelo Hospital do Coração (HCor), em parceria com o Ministério da Saúde. “O objetivo era proteger a população dos vários fatores de risco que provocam e agravam as doenças cardiovasculares”, diz Maria Beatriz Ross, nutricionista e pesquisadora da equipe do HCor. No lugar de salmão, azeite de oliva e noz, o menu ganhou sardinha, milho, tapioca e outros alimentos nutricionalmente próximos aos da dieta original, só que mais baratos e acessíveis por aqui. Já no teste piloto, com 120 voluntários com histórico de ocorrências cardiovasculares, a dieta se mostrou eficiente inclusive para quem precisava perder peso.

 Menu verde-amarelo
A segunda fase do teste envolveu mais de 2 mil pessoas de todo os país, com cardápios diferentes: típicos de cada região. Mas os participantes montaram o prato com base num gráfico que dividiu os alimentos em três grupos, nas cores verde, amarelo e azul. Você também pode colocá-lo em prática.

Verde
Ricos em vitaminas, minerais e fibras, como verduras, legumes, frutas, leite e derivados desnatados. Consumir com frequência.

Amarelo
Arroz, feijão, macarrão, pão, cereais, biscoitos simples e itens com pouco sódio, açúcar, gordura saturada ou colesterol. Consumir em porções moderadas.

Azul
Carne magra, frango, peixe, óleo composto (soja e azeite), castanha e itens com mais sódio, açúcar, gordura saturada e colesterol que os itens do grupo amarelo. Consumir com restrição.

Proibidos: ficam de fora da dieta os alimentos industrializados com gordura trans (sorvete, biscoito recheado, salgadinhos) e alto teor de sódio (congelados, embutidos) ou de açúcar (balas, doces).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Fernanda Camargo Oliveira

    Adorei a matéria!!! Só faltou o cardápio já adaptado para facilitar para nós leitoras né… hahaha

    Curtir

  2. Interesante. Eu mesma já fiz algumas substituições por conta de facilidade em encontrar os ingredientes, pelo preço, quando fiz a dieta mediterranea. Alguns dos meus cardápios e ereceitas estão no meu site disponívies para quem quiser ver.

    Curtir