Cólica de ovulação: o que é e como saber se você sofre de “dor do meio”

Dores durante o período de ovulação são normais, mas também são pontuais e de baixa intensidade.

Por Marcela De Mingo Atualizado em 18 nov 2021, 16h15 - Publicado em 22 nov 2021, 08h00

De repente, você sente uma dor que tem cara de cólica. Só tem um detalhe: o seu período menstrual ainda está longe de acontecer. O senso-comum responde: é cólica de ovulação. E, sim, é possível sentir dores nessa fase do ciclo. 

De acordo com o Dr. Rodrigo Rosa, ginecologista e obstetra especialista em reprodução humana, essas dores são, de fato, comuns e são chamadas pela comunidade médica de “dor da ovulação”. 

Mas vamos por partes. A ovulação, explica o médico, ocorre quando o folículo dominante se rompe, liberando o óvulo que está dentro dele. Esse óvulo pode, então ser capturado pela trompa uterina e, eventualmente, ser fecundado por um espermatozoide.

“A ovulação acontece após o recrutamento de um dos folículos no ovário naquele ciclo menstrual, e é precedida pelo pico de um hormônio chamado LH (hormônio luteinizante)”, diz o Dr. Rodrigo. “Após 36 horas desse pico há, então, a ruptura do folículo que cresceu (e é o folículo dominante), quando ele tem aproximadamente 20 mm.”

Agora, sim, fica mais fácil entender como e porque muitas mulheres sentem dores durante essa fase: 

“Cerca de 20% das mulheres podem ter a chamada dor da ovulação, ou ‘dor do meio’, e essa dor ocorre pela própria ruptura do folículo com um pequeno sangramento de microvasos sanguíneos que estavam no ovário. Esse sangue, ao cair na cavidade pélvica, pode provocar um quadro de dor. Mas é uma dor pontual e de baixa intensidade”, explica. 

A necessidade de amenizar essas dores depende de cada caso e é válido consultar um ginecologista caso sejam intensas demais, mas o médico explica que um anti-inflamatório é o suficiente para aliviar a dor do meio. O que não é normal, no entanto, é se essas dores virem acompanhadas de outros sintomas ou de dores durante a relação sexual, o que pode ser um sinal indicativo de endometriose – por isso, o reforço de sempre consultar um médico é ainda mais importante.

Continua após a publicidade

Publicidade