Dia do orgasmo: 7 benefícios além do prazer

Muito mais do que prazer, o orgasmo pode trazer diversos benefícios que vão do corpo, a mente e ate mesmo pode ajudar na imunidade

Por Amanda Ventorin Atualizado em 28 jul 2021, 19h06 - Publicado em 31 jul 2021, 09h00

O dia 31 de julho é considerado o dia do orgasmo. A data surgiu a partir de iniciativas de lojas britânicas de produtos adultos em 1999, como forma de “provocar” debates sobre o tema, já que ainda hoje, o orgasmo feminino é tabu e muitas mulheres sentem dificuldade para atingir, o que seria, o ápice do prazer na intimidade. No Brasil, a Pesquisa Mosaico que mede o comportamento afetivo/sexual do Brasileiro declara que 43% das mulheres sexualmente ativas têm dificuldade para atingir o orgasmo e 30% não se masturbam.

“Eu acho que esse é exatamente o caminho que as mulheres devem buscar, a masturbação. Elas devem começar a buscar esse orgasmo sozinhas antes de buscar acompanhada exatamente por ser muito difícil você jogar na mão de outra pessoa a responsabilidade de um prazer que é seu” diz Lilian Fiorelli, ginecologista e especialista em sexualidade feminina. “É muito mais fácil descobrir como chegar lá sozinha e depois ensinar ao seu parceiro, é muito mais tranquilo e muito mais saudável”.

Apesar de parecer um ato “simples” de se tocar, ainda há um tabu muito forte sobre a masturbação feminina por diversos fatores como educação, religião e até mesmo social. “É importante a gente entender que nosso corpo também foi feito para o prazer. Existe o clitóris, que é feito único e exclusivamente para o prazer sexual feminino e não tem nenhuma outra função, então por que considerar pecado algo que o corpo já foi feito pra isso?”, questiona a ginecologista.

Mesmo sendo um ato íntimo e sozinho, é importante se lembrar de que a intimidade feminina é uma região extremamente sensível que necessita de certos cuidados como higienizar mãos ou vibradores e ter um lubrificante (a base de água!) caso sinta a necessidade, para assim ser um toque mais gostoso onde verdadeiramente você se sinta relaxada para conhecer seu corpo e seu próprio prazer.

O que é o orgasmo?

Muito se fala sobre o ápice do sexo, mas o que ele é, de fato? Eduardo Perin, psiquiatra especialista em sexualidade explica que durante o ato sexual há a liberação de diversos hormônios e neurotransmissores como serotonina, dopamina, noradrenalina, opioides endógenos e diversas outras substâncias ligadas ao prazer e o orgasmo é o pico desse prazer, que é dividido em três partes: “A perca do sentido, que pode acontecer em uma fração mínima de segundo onde relatam que não conseguem subitamente enxergar, ou escutar. Em seguida uma fase de aquecimento, onde o corpo aquece ou também relatam sobre uma sensação de choque que também dura uma fração de segundo e que isso as vezes pode acontecer em diferentes partes do corpo, e por ultimo as contrações rítmicas e involuntárias da pélvis, que no homem é o que facilita a ejaculação e para a mulher, facilita o orgasmo, tendo um aumento de prazer durante essas contrações”, explica Lilian.

Benefícios do orgasmo

1- Sensação de bem-estar

Seja sozinha ou acompanhada, no ato sexual ocorre a liberação de um principal hormônio chamado dopamina que traz a sensação de bem-estar, de plenitude. “É gostoso mas ainda não é o pico máximo,  durante um orgasmo você precisa da dopamina porque ela é um dos precursores de um outro hormônio chamado noradrenalina, então geralmente quanto mais você tem a excitação, mais potencial você tem também para o orgasmo. A noradrenalina aumenta a pressão sanguínea  e tem um pico depois você passa das três fases do orgasmo, existe uma liberação de ocitocina que é chamado de hormônio do amor, porque ele é mais relaxante ele dá uma sensação de bem-estar muito mais leve”, explica Lilian. 

Um estudo escocês publicado na revista Biological Psychology revelou que o orgasmo também diminui a produção de cortisol, hormônio responsável pelo estresse, deixando-nos relaxados. “Durante o ato sexual ocorre um aumento do fluxo sanguíneo e a frequência cardíaca  significativamente, chegando ao clímax que é o orgasmo. E a principal característica do orgasmo é uma c ontração seguida de um intenso relaxamento, capaz de aliviar as tensões musculares, relaxando o corpo inteiro!” Naty Daflon, especialista em saúde integrativa da clínica FVC, explica. 

Continua após a publicidade

2- A conexão afetiva fica mais forte

A ocitocina, o hormônio do amor liberado durante o orgasmo pode também melhorar a conexão com seu parceiro “Por isso que a droga do amor,  porque ela dá em você sensação de conexão mesmo”, conta a ginecologista. Conforme publicação do The Journal of Sex Research, no caso de casais heterossexuais, o clímax feminino estimula o parceiro a se sentir mais viril e realizado sexualmente.

3- Ajuda na memória e foco

Pela ocitocina e dopamina trazerem essa sensação de bem-estar, também você aumenta a fixação de memória “Então quanto mais você tem uma certa frequência da prática sexual, você tem melhora na memória melhorar, produtividade, melhora no sono.  Então ele tem outros benefícios além do próprio sexo em si”, explica a especialista.

4- Ajuda no sistema imunológico

“A atividade sexual ajuda no sistema imunológico, e por ativação, também do sistema endocanabinoide (aliado da regulação e equilíbrio de uma série de processos fisiológicos no corpo humano). O nosso sistema interno de neurotransmissores e receptores canabinoides na estação onde a substâncias da cannabis sativa se ligam a esses receptores e a ativação do sistema endocanabinoide regula a o sistema imunológico, regulando a atividade do sistema imunológico, sendo um ótimo benefício desses hormônios para o organismo”, explica Eduardo Perin.

Um estudo feito pela Wilkes University, nos Estados Unidos, evidenciou que uma vida sexualmente ativa aumenta os níveis de um anticorpo conhecido como IgA, responsável pela proteção do organismo de infecções, gripe e resfriado, sendo assim ele é capaz de aumentar nossa imunidade. Segundo Flavia Cohen, médica especialista em medicina integrativa da Clínica FVC , o orgasmo uma vez por semana aumenta a imunidade em até 30%. 

Já a ginecologista Lilian Fiorelli diz que, com uma alimentação balanceada, uma boa noite de sono e vida ativa (fisicamente), a prática sexual vem como se fosse coroa tudo isso “É lógico que não adianta você ter uma prática sexual intensa e você não cuidar de todos os outros auto cuidados que a gente acabou de falar, é como se fosse algo a mais para te ajudar nessa imunidade. Como eu falei, alguns dos hormônios neurotransmissores que são liberados durante atividade sexual vão facilitar, sim, o seu controle do stress, as atividades do seu dia a dia, seu controle do sono, então isso vai ajudar a ter uma qualidade de vida melhor. Não que a relação sexual melhore diretamente a imunidade, mas, ela melhora tanto a qualidade de vida”.

5- Ajuda na densidade óssea

Durante a relação sexual os hormônios são liberados e estimulam o sistema nervoso parassimpático fazendo ele aumentar sua produção. A especialista em longevidade, Dra. Adriana Lima, salientou a importância desse aumento hormonal para a nossa saúde: “O orgasmo ajuda a liberar endorfina, que é responsável pela nossa sensação de prazer, a ocitocina, nosso hormônio da felicidade, que além de aumentar o vínculo entre casais, também tem uma forte relação com a saúde óssea. Pesquisas mostram que níveis baixos de ocitocina estão associados à osteoporose, ou seja, quanto mais prazer, mais fortes ficam os ossos”.

6- Te faz mais consciente

Para quem tem interesse em um beneficiou mais holístico o orgasmo expande a consciência. “O orgasmo também é muito importante para o equilíbrio do corpo físico, ajudando na expansão de vibrações positivas para o organismo através da liberação de hormônios como a ocitocina e estrogênio, auxilia o equilíbrio energético através da limpeza de travas emocionais do indivíduo em busca de transformação pessoal. Em rituais tântricos, essa energia é canalizada em prol de evolução espiritual, com a transformação integral do SER, passando pelo corpo e indo além  dos cinco sentidos…. A Energia sexual é uma energia de criação, canalizá-la para transformar o prazer corporal em evolução interior e espiritual,  é o que se busca com o tantrismo.” Explica Rita Carvalho, especialista em desenvolvimento humano e terapia holística.

7- Deixa o cabelo – e pele- mais bonitos

Cientistas da Universidade Queens, no Reino Unido, afirmam que atingir o orgasmo aumenta os níveis dehidroepiandrosterona e estradiol – o primeiro é responsável por consertar os tecidos e manter a pele saudável e o segundo deixa a pele e os cabelos mais viçosos. Além disso, quando há o orgasmo, ocorre uma vasodilatação superficial dos vasos sanguíneos, proporcionando à pele e aos cabelos uma aparência viçosa e exaltando o brilho natural. 

Continua após a publicidade
Publicidade