Quer engravidar? Pare de fumar!

Tabagismo pode diminuir drasticamente a fertilidade em homens e mulheres — mas dano pode se revertido com o abandono do hábito

Por Giovana Santos Atualizado em 19 jan 2022, 14h26 - Publicado em 22 fev 2022, 10h25

Se você tem o plano de se tornar mamãe (ou papai) em 2022, mas fuma, melhor repensar o hábito: de acordo com a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, homens e mulheres fumantes têm três vezes mais chances de se tornarem inférteis.

“Existem diversas substâncias e componentes no cigarro, como a nicotina, o alcatrão e o monóxido de carbono, que afetam diretamente o aparelho reprodutor. Vale lembrar que qualquer produto proveniente do tabaco, como cachimbo e charuto, traz os mesmos riscos do cigarro. Portanto, é importante parar de fumar se quiser ter filhos”, aconselha o médico Matheus Roque, especialista em reprodução humana. Entenda melhor:

Como o cigarro afeta a fertilidade da mulher

O especialista afirma que aquelas que fumam mais de 20 cigarros por dia têm a fertilidade reduzida em até 25%. Enquanto isso, quem ultrapassa essa quantidade pode ter redução de até 43%.

Isso pode ser explicado porque os compostos tóxicos presentes no produto causam a oxidação dos óvulos, o que resulta em uma diminuição drástica da qualidade e da quantidade deles. É por esse motivo, também, que as fumantes tendem a entrar na menopausa primeiro do que aquelas que não praticam o ato.

“A motilidade das tubas uterinas também pode ser alterada, dificultando a implantação do embrião (caso ocorra a fecundação), e aumentando o risco de abortamento (em até 27%) e de gravidez ectópica (nas tubas)”, diz o especialista.

Estudos científicos já demonstraram também que as taxas de fertilização e de crescimento dos embriões nos tratamentos de fertilização in vitro são menores para quem fuma, fazendo com que essas pacientes necessitem de duas vezes mais tentativas do que as não fumantes, além de precisarem de uma quantidade maior de hormônios para estimular a ovulação.

E não para por aí: os riscos de complicações obstétricas aumentam de maneira considerável nas gestantes que fumam. “Em comparação a mulheres da mesma idade e que não fumam, as gestantes tabagistas apresentam o dobro de chance de o bebê nascer com baixo peso. Além de 70% de aumento no risco de aborto espontâneo, 40% de ter parto prematuro e 30% de o bebê apresentar morte perinatal.”

Como o cigarro afeta a fertilidade do homem

Já para eles, o tabagismo pode reduzir a produção de espermatozoides, que se tornam mais “fracos” e “lentos”. “E todas estas alterações podem prejudicar a fertilização de maneira natural ou mesmo em tratamentos de fertilização in vitro”, complementa Matheus Roque.

Mas existe uma quantidade de cigarros considerada “segura” para a fertilidade?

Infelizmente, não. Mesmo quem utiliza poucas unidades por dia pode ter essa característica biológica afetada — e isso vale para ambos os gêneros.

Continua após a publicidade

A boa notícia? Se você parar de fumar, pode reverter o quadro! “De maneira geral, os prejuízos na fertilidade são potencialmente reversíveis. Este tempo de recuperação depende da quantidade de cigarros fumados diariamente e do tempo que a pessoa fuma. E também afeta de maneira diferente homens e mulheres”, diz o médico.

Como parar de fumar?

Nunca é tarde para cuidar da própria saúde. Contudo, largar o vício pode ser bem complicado. Veja como fazer isso aos poucos para que a mudança seja duradoura:

Marque o dia

A orientação é do Instituto Nacional do Câncer (Inca): reserve uma data, se possível nas próximas duas semanas. Na véspera, fume o último cigarro, depois jogue fora todos os maços, isqueiros e cinzeiros.

Mexa-se

Exercício queima calorias e ajuda a controlar o peso, além de liberar substâncias que trazem bem-estar, reduzindo a vontade de acender um cigarro, concluiu estudo publicado no periódico americano Psychopharmacology.
Se você for sedentário, comece com uma caminhada de meia hora, três vezes por semana. Você já malha? Aumente a carga ou a intensidade do treino a fim de gastar mais 300 calorias por dia.

Dê um tempo no café

Frutas (em especial cítricas), hortaliças e laticínios pioram o gosto do tabaco, segundo pesquisa da Universidade Duke, nos Estados Unidos, com 209 fumantes. Por outro lado, alguns alimentos acentuam seu sabor e “convidam” a fumar, portanto é melhor tirá-los da mesa nas primeiras semanas: carnes, bebidas alcoólicas (cerveja, vinho) e, em disparada, o café.

Tome água

A hidratação ajuda a desintoxicar o organismo, já que a nicotina é liberada pela urina. Beba água a cada hora e sempre que vier a vontade de fumar.

Reveja hábitos

Para suprir a falta do cigarro após o cafezinho, a transa, ao dirigir, sair com os amigos, é preciso mudar comportamentos. Em um estudo com 216 fumantes publicado no Journal of The American Dietetic Association, os que passaram por terapia comportamental cognitiva demonstraram mais autoestima e motivação para alterar rituais e largar o fumo.

Desengavete planos

Fazer um curso (de idioma, artes, música) ou iniciar uma atividade nova e prazerosa ajuda a preencher o vazio deixado pelo cigarro.

Resista à tentação

A vontade de fumar dura no máximo cinco minutos, afirmam os especialistas do Inca. Quando ela bater, chupe gelo, escove os dentes. Ocupe as mãos com um elástico.Faça palavras cruzadas. Atualize seu Facebook ou entre num fórum de ex-fumantes. Ligue para um amigo.

Procure ajuda

As instituições de saúde ligadas ao SUS oferecem tratamento gratuito para parar de fumar. Informe-se pelo Disque Saúde: 136.

Continua após a publicidade

Publicidade