CBF aprova comitê para desenvolvimento do futebol feminino

A decisão foi tomada após reunião que contou com a presença de ex-jogadoras e atuais integrantes da seleção brasileira

O futebol feminino brasileiro acaba de dar um passo histórico – ainda que tardio. Nesta terça-feira (17), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu criar um comitê para o desenvolvimento da modalidade no país – que existe oficialmente por aqui desde 1983.

Leia mais: Treino inspirado nas atletas do futebol para queimar 800 calorias

A decisão foi tomada após um encontro de ex-jogadoras e integrantes atuais da seleção com Marco Polo del Nero, presidente da CBF, e diretores da entidade. As atletas entregaram ao cartola um documento com várias reivindicações, além do comitê. São elas:

  • A criação do Departamento de Futebol Feminino sob gestão de uma mulher
  • Implementação das 11 ações recomendadas pelo Grupo de Trabalho do Futebol Feminino do Comitê de Reformas da CBF;
  • Inclusão de mulheres em todos os níveis de decisões, conforme orientação da Federação Internacional de Futebol;
  • Realização de um diagnóstico específico para cada dimensão-chave do futebol feminino, incluindo aspectos técnicos, administrativos e de governança.

Polêmica

A boa notícia chega após decisões controversas da CBF em relação ao comando da seleção brasileira de futebol feminino. No último dia 22 de setembro, Del Nero mandou embora Emily Lima, a primeira mulher a ser técnica do time. A demissão ocorreu apenas dez meses após Emily assumir o cargo e causou revolta entre as jogadoras, levando cinco delas a saírem da equipe. Cristiane Rozeira, Maurine Dornele, Rosana Augusto, Fran Alberto e Andreia Rosa deixaram a seleção.

Outra escolha questionada pelas atletas foi a readmissão de Oswaldo Fumeiro Alvarez, o Vadão, que comandou a equipe entre 2014 e 2016 e foi demitido por Del Nero devido ao mau aproveitamento. “Volta uma comissão que já teve oportunidade. Ficamos sem entender o porquê, então, de não dar mais tempo para a comissão de Emily”, declarou Rosana à revista CLAUDIA. “Todas as outras comissões que passaram [pela seleção] tiveram um tempo muito grande de trabalho. Tiveram um ciclo todo. Essa sequer teve oportunidade. Por que era mulher?“, questionou Cristiane em um vídeo postado em suas redes sociais.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das últimas notícias de BOA FORMA  

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s