Fluidance: aula une dança e tai chi para trabalhar articulações

Testamos a nova modalidade do Estúdio Anacã, em São Paulo

Por Luiza Monteiro Atualizado em 15 fev 2017, 17h40 - Publicado em 15 fev 2017, 16h33

O dia 13 de fevereiro de 2017 não foi uma segunda-feira comum. Levantei às 6h (geralmente saio da cama só às 8h) para trabalhar de um jeito diferente. Fui testar a Fluidance, nova modalidade do Estúdio Anacã, escola de dança de São Paulo. A aula chamou nossa atenção por ter uma proposta inovadora: a ideia não é queimar um monte de calorias ou deixar os músculos do corpo definidos, mas relaxar a mente e soltar e lubrificar as articulações – benefícios importantes para quem pratica exercícios de força, como a musculação, e de impacto.

E foi bem isso que senti durante a 1 hora em que estive na sala com a professora, Flavia Lucato, e as outras alunas. Enquanto aprendia os movimentos lentos e suaves – indicados para pessoas de qualquer idade e diferentes níveis de experiência – só conseguia sentir os “tec-tecs” nos meus cotovelos, tornozelos, punhos e pescoço. O relaxamento veio já no comecinho, quando fomos orientadas a fechar os olhos e nos concentrar apenas em nosso corpo, inclusive em órgãos internos.

Leia mais: Cize: o treino de dança mais buscado no Google em 2016

“É importante considerar que, quando dançamos, não se trata apenas do aspecto estético. Estamos dançando com nossos ossos, tendões, órgãos, vísceras, emoções. Então, primeiro fazemos contato com o corpo de forma mais integral, tranquilizamos a mente e, a partir desse aquietamento, a qualidade de movimento também pode refletir uma suavidade”, explica Flavia.

Entre as inspirações da Fluidance está o tai chi chuan, que se parece bastante com uma dança e é caracterizado por movimentações suaves. Só que o tai chi é considerado uma arte marcial – o que está bem longe da novidade do Anacã. Nos últimos 15 minutos da aula, todos os “passos” aprendidos se unem numa coreografia, executada ao som de uma música lenta e instrumental.

Fique por dentro: Jovem com hidrocefalia prova que a dança é para todo mundo

“O mais importante é que as pessoas saiam leves, sentindo o corpo vivo, integrado, e tendo a certeza de que estão descobrindo coisas a seu próprio respeito – e não só reproduzindo o que a professora faz”, observa Flavia.

Continua após a publicidade

É claro que não consegui sentir todos os benefícios da Fluidance em uma única aula. Mas certamente deu para notar que a semana começou mais leve – e que as minhas articulações, apesar de jovens, também precisam de atenção para trabalharem tão fluidas quanto essa dança.

View this post on Instagram

Esta semana começou com novas experiências para o #teamBF A repórter @lualvesmonteiro foi testar a Fluidance, nova aula do @estudioanaca. O tai chi é uma das inspirações da modalidade, que não tem como objetivo queimar um monte de calorias ou definir os músculos. A meta é trabalhar as articulações, principalmente. Clique no link disponível no nosso perfil para saber mais sobre a novidade e conferir o que achamos! #atitudeboaforma #BFtestou

A post shared by BOA FORMA (@boaforma) on

Serviço:

As aulas acontecem às segundas, quartas e sextas-feiras, às 8h, na unidade do Morumbi do Estúdio Anacã (Av. Giovanni Gronchi, 5930, 2° piso).

  • Continua após a publicidade
    Publicidade