O que você precisa saber antes de começar a correr na areia

Aproveite os dias ensolarados para transferir a corrida na esteira para beira-mar!

Por Marina Campos 20 nov 2016, 09h00

A prática traz várias vantagens para seu corpo e garante o bronze – e a vista também não é nada mal, hein?

Definição, ativar!
Em vez de trocar horas de sono pela academia, experimente a corrida na areia. “Queimamos 60% mais calorias na praia do que fazendo o mesmo exercício na esteira”, diz o ortopedista Antonio Faria, de São Paulo. Isso porque, no terreno instável, a resposta do solo é bem menor (lembra-se das aulas de física que falavam sobre ação e reação?) e o deslocamento depende só de você, o que aumenta a exigência muscular e acelera a frequência cardíaca. Resultado: pernas mais definidas.

Longe de riscos
Antes de sair correndo por aí, reserve alguns minutinhos para um bom aquecimento. “Não deixe de lado as técnicas de corrida, como elevação de joelho e deslocamento lateral”, recomenda o educador físico Juliano Spineti, do Rio de Janeiro. Também evite treinar muito perto da água (a inclinação sobrecarrega as articulações) e fuja do sol entre 10 e 16 horas. “De resto, a prática só é contraindicada para quem sente dor no joelho durante o movimento”, diz Juliano.

Bora correr!
Acelerar na areia cansa mais e, por isso, seu ritmo deve ser 30% menor que o de costume. Se não tiver uma sapatilha de corrida (daquelas com formato de dedos), prefira ir descalça mesmo. Aquecimento com exercícios de alongamento dinâmico – 3 min: flexão e extensão de tronco para a frente e para os lados. Exercícios de técnica de corrida – 5 min: elevação de joelhos e deslocamento lateral. 6 séries de 1 min (confortável) + 2 min (caminhada)

Continua após a publicidade
Publicidade