Em 2022, ter um personal trainer deixa de ser luxo: veja como escolher um

As vantagens de ter o acompanhamento desse profissional são muitas, mas é precisa "dar match"

Por Larissa Serpa Atualizado em 10 dez 2021, 16h20 - Publicado em 3 jan 2022, 10h00

Você conhece alguém que contratou um personal trainer para intensificar os treinos durante o isolamento? Ou então você mesma pode ter optado por isso, já que contar com os instrutores na academia não foi uma opção por um bom tempo desse ano, quando os locais se encontravam fechados.

A mudança na rotina, causada pela pandemia do Covid-19 fez com que muitas pessoas procurassem essa orientação, seja para ser atendido em casa ou digitalmente.

Mas quem acha que, agora, com a abertura dos ginásios, isso vai acabar, está bem errado.

Mesmo com o retorno das academia, a tendência é que esses profissionais continuem sendo demandados, já que a visão de que eles eram um artigo de luxo foi desmitificada.

Segundo o American College of Sports Medicine, a tendência de contratar Personal Trainers já está no top 10 de tendências do mundo fitness há um tempo mas, agora, com a pandemia, a moda deu uma acelerada.

Além de ser uma maneira eficaz de abordar seus treinos – já que parte do trabalho do profissional é te motivar -, contratar um personal permite que você chegue mais rapidamente aos seus objetivos específicos, já que o profissional vai montar um treino de acordo e acompanhar dia após dia o que está dando certo, para poder adaptar se algo não está funcionando. Isso porque, apesar de termos algumas “regras” no universo fitness (por exemplo, “para aumentar bumbum, faça agachamentos”), cada corpo reage de uma maneira e responde melhor a diferentes estímulos. O personal trainer vai acompanhar isso para fazer o melhor treino para você.

COMO ESCOLHER SEU PERSONAL TRAINER

Quer seguir a tendência? Nós damos algumas dicas para escolher o profissional:

1
Continua após a publicidade

Os educadores físicos costumam atender a nichos – fisiculturismo, hipertrofia, emagrecimento, corrida… Opte por alguém que conheça bem seu perfil, modalidade e meta.

2

Pergunte aos alunos (e aos ex alunos também) sobre a pontualidade e a capacidade motivacional do educador. É importante saber se o profissional é bem avaliado.

3

Metodologia, frequência, valor, reposição, férias… “Combine tudo isso antes para não haver mal-entendidos”, recomenda Flávio Settani, sócio e diretor técnico da Academia Sett Coaching, em São Paulo.

4

A conversa foi boa? Antes de contratá-lo, peça uma aula teste e, se não gostar de algo, veja se é possível fazer alguns ajustes. Caso não seja, é hora de voltar ao passo 1 e começar tudo de novo com outro profissional.

Vai treinar na academia?

Se você já frequenta uma academia, provavelmente já viu alunos por lá com um personal. Pode ser uma boa opção optar por esses profissionais que já frequentam a sua unidade já que, para ele, se você vai treinar na academia e não em casa, ele precisaria pagar uma taxa na sua academia para frequentar também e isso só costuma valer a pena para eles quando eles têm um certo numero de alunos naquela unidade.

Independente disso, faça todos os passos citados acima para escolher o melhor para você entre eles.

Continua após a publicidade

Publicidade