5 principais tendências de bem-estar para 2021

Desde o início da pandemia, a busca por mais bem-estar vem aumentando

Por Redação Atualizado em 3 mar 2021, 14h34 - Publicado em 3 mar 2021, 15h00

Depois de um ano bastante desafiador para o mercado de bem-estar físico, mental e emocional, a demanda por aplicativos de cuidados com a saúde mental aumentou 106% no Gympass, plataforma de bem-estar. Ao mesmo tempo, as sessões de terapias individuais vêm crescendo, até hoje, 30% mês a mês no Brasil. Isso mostra uma procura por mais bem-estar nesse ano. A seguir, listamos as 5 principais tendências de bem-estar para 2021.

PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DE BEM-ESTAR PARA 2021

1- Aulas ao vivo ou on-demand

Desde o início da pandemia, muitas marcas do segmento fitness começaram a adotar uma abordagem mais híbrida, dando aos seus consumidores acesso a sessões online com Personal Trainers, Aulas ao Vivo e centenas de conteúdo on-demand, por exemplo.

O crescimento do fitness digital contribuiu para superar três barreiras para o início da prática de exercício físico: falta de tempo, falta de dinheiro e constrangimento de se exercitar diante de pessoas mais experientes”, comenta Bruno Franco, CEO e Cofundador do BTFIT, aplicativo parceiro do Gympass no Brasil. Essas atualizações digitais devem ajudar a impulsionar o crescimento do mercado fitness digital em 30% a cada ano, atingindo o valor de US $30 bilhões em 2026. (Fonte: Global Market Insights)

2- Terapia virtual

A busca por terapia subiu 1.075% desde o início da pandemia, mas a maioria das empresas ainda não fornecem terapia como um de seus benefícios

O grande aumento da terapia virtual durante a pandemia mostrou que as pessoas não precisam do conforto do sofá de um terapeuta para obter o apoio que procuram para tratar diversos problemas de saúde mental. De acordo com Luciene Bandeira, cofundadora da Psicologia Viva, a procura pelo cuidado com a mente cresceu 1.750% após a pandemia se comparado com os primeiros meses de 2020. Apesar do aumento expressivo, poucas são as empresas que, de fato, estão proporcionando soluções digitais para que seus colaboradores consigam cuidar de sua saúde mental. Segundo uma pesquisa conduzida com exclusividade pela Propeller Insights para o Gympass no ano passado, 57,5% dos empregadores não oferecem nenhum benefício desse tipo.

3- Práticas restaurativas

Um setor que vem crescendo e deve ser observado em 2021 são as academias e estúdios que combinam exercícios para o corpo e para a mente de maneira mais explícita. O aumento dos treinos para o corpo de baixo impacto continuará impulsionando o crescimento da indústria e manterá as pessoas em movimento todos os dias da semana, mesmo com o fechamento das academias. “Estamos vivendo um período em que precisamos parar para cuidar de nós. A prática de exercícios de baixo impacto como correr na esteira já consegue liberar hormônios que nos trazem a sensação de prazer e bem-estar como a serotonina, dopamina e endorfina. E isso se tornou um mecanismo de defesa nesse período de pandemia”, afirma Thiago Pugliesi, professor da WeBurn.

4- Treinos ao ar livre

Correr, caminhar com a família e fazer aulas em grupo ao ar livre não servem apenas para manter a forma física, mas também é responsável por melhorar a nossa saúde mental. Essa tendência deve continuar em 2021 à medida que as restrições de isolamento social forem reduzidas e as pessoas forem vacinadas, sentindo-se aptas a voltar para as ruas. De acordo com uma pesquisa recente realizada pelo Gympass com mais de nove mil usuários em nove países, 18% das pessoas estão empolgadas para combinar métodos offline e online para se cuidar, visto que o trabalho remoto afetou diretamente a mobilidade das pessoas.

5- Tecnologia “vestível”

As vendas do Apple Watch aumentaram 20%

Mesmo antes das academias começarem a fechar por conta dos decretos de isolamento social, dispositivos como o Apple Watch e o Fitbit já eram incrivelmente populares. Agora, após o forte aumento no condicionamento físico doméstico, a tecnologia vestível está passando por um grande boom. O Apple Watch teve um aumento de 20% nas vendas em relação aos números de 2019, e prevê-se que as altas taxas de doenças crônicas e o maior acesso à tecnologia vestível impulsionam a demanda da indústria desse segmento. Isso beneficia as marcas no segmento fitness, mantendo a saúde como prioridade para muitos.

 

Continua após a publicidade
Publicidade