Por que é mais difícil para mulheres entrarem em forma

Algumas características do corpo do sexo feminino afetam

Por Carlos Amoedo Atualizado em 13 abr 2022, 14h48 - Publicado em 24 abr 2022, 10h51

Para as mulheres, a tarefa de ganhar massa magra ou perder gordura pode ser mais complicada, pois o corpo tem características diferentes, desafiando todo o processo

Mas isso não significa que é impossível. O primeiro passo é conhecer esses obstáculos para conquistar seu objetivo.

Rodrigo Sangion, profissional de educação física e CEO da academia Les Cinq Gym (SP), selecionou alguns desses empecilhos, e mostra o que pode ser feito para vencê-los.

MAIS GORDURA

Viktoriia

É por causa de processos como a possibilidade de uma gravidez que mulheres possuem mais gordura corporal. É simples: hormônios que atuam na gestação, como é o caso da progesterona e do estrógeno, necessitam desse nutriente para funcionarem corretamente. Além de regularem o ciclo menstrual e atuarem no desenvolvimento mamário, eles preparam o útero para uma gravidez. O acúmulo de gordura, que serve de combustível para a atuação desses hormônios e que também pode estar associado à celulite, costuma concentrar-se no quadril, na parte lateral das coxas e no bumbum.

Enquanto a quantidade ideal de gordura, em condições normais, no corpo masculino varia entre 16% e 20%, na mulher oscila entre 20% e 24%. Vale destacar que mulheres que apresentam menos de 16% de taxa de gordura corporal correm o risco de ter problemas na manutenção das funções orgânicas. Por exemplo: podem parar de menstruar.

  • Como driblar

“Não é caso de se matar de malhar para conter esse excesso, mas de ficar bem alerta à importância da atividade física no processo. E, quando falamos em controle da gordura corporal, através dos exercícios físicos, sugiro a prática de treinos intervalados de alta intensidade, que é quando atingimos alguns picos de frequência cardíaca próximos ao esforço máximo. Eles podem ser colocados em prática em uma esteira, durante uma corrida, ou na bike. Sugiro, ainda, a musculação, que é uma modalidade prática e segura de construir massa muscular, também importante no controle da gordura”, diz Sangion.

No caso dos exercícios intervalados de alta intensidade, há uma maior utilização da gordura no processo de geração de energia, como comprovam vários estudos afins. E, quando aumentamos a massa muscular, a tendência é o metabolismo ficar mais acelerado, mesmo em estado de repouso, para gerar energia necessária na manutenção da massa muscular adquirida. E isso também implica na utilização da gordura como combustível.

Continua após a publicidade

MENOS MÚSCULO

Mulher musculosa pegando peso

O aumento da massa muscular está vinculado à testosterona, hormônio que a mulher possui em pequena quantidade. Homens adultos têm entre 241 e 827 ng/dl (nanogramas por decilitro de sangue) desse hormônio. Mulheres adultas têm muito menos: entre 14 e 76 ng/dl.

É por isso que um homem pode ganhar músculos mais rapidamente.

  • Como driblar

A boa notícia é que não há qualquer risco de a mulher ganhar feições consideradas “masculinas” durante um treino com pesos, se essa é sua desculpa para ficar longe do levantamento de pesos. Isso só acontece com a utilização de testosterona extra. A má notícia é que o esforço da mulher para adquirir massa muscular, que impacte no visual, deve ser grande. “Por questões fisiológicas, a mulher tem mais dificuldade para ganhar músculos, mas isso não significa que trata-se de uma missão impossível. Com treinamento adequado, que pode passar inclusive pela musculação, associado a uma alimentação rica em nutrientes que beneficiam o ganho de massa muscular, qualquer mulher pode melhorar o corpo”, diz Sangion.

MAIS RETENÇÃO LÍQUIDA

instestino preso

O aspecto é de inchaço. A retenção ou edema ocorre quando os líquidos saem dos vasos sanguíneos e se acumulam nos tecidos subcutâneos, entre as células – o normal seria eles permanecerem nos vasos. O sedentarismo e o consumo exagerado de alimentos industrializados podem contribuir para isso. Nas mulheres, esse, digamos, escape de líquido também ocorre por questões hormonais específicas. Uma delas é o ciclo menstrual.

Durante esse processo e na TPM (tensão pré-menstrual) é comum haver esse extravasamento de líquido, levando em conta, ainda, o fato de os vasos sanguíneos serem mais permeáveis nas mulheres e de ficarem ainda mais propensos a isso durante esses períodos. Mais: na menopausa isso também torna-se comum por conta das alterações hormonais típicas dessa fase.

  • Como driblar

“É fato que a prática regular de exercícios, como uma caminhada mais rápida ou pedalar, pode favorecer a eliminação do excesso de líquido. A simples contração da musculatura de grandes grupos, como pernas e braços, durante um programa de atividade física, já leva a isso”, diz Sangion. “Vale lembrar, ainda, que alimentação saudável e ingestão de água, pelo menos dois litros diários, também não podem ficar fora da jogada contra a retenção líquida. Portanto, os conselhos de um nutricionista são sempre válidos para contornar o problema”.

Continua após a publicidade

Publicidade