Dextrose e maltodextrina: o que são e por que tomar?

Os suplementos ajudam no desempenho durante a prática de exercícios, fornecendo energia para treinos longos e intensos

Por Amanda Ventorin Atualizado em 27 jun 2022, 16h00 - Publicado em 27 jun 2022, 10h00

Apesar de (ainda) ter uma má reputação, os carboidratos são nossa principal fonte de energia, e aqueles que treinam de maneira intensa, sabem disso.

Durante a musculação, nosso corpo utiliza o estoque de glicose como fonte de energia para performar os exercícios, mas quando ele acaba, cria-se uma fadiga nos músculos e o movimento pode se tornar muito ais difícil, e é ai que entra os carboidratos. Sua função é fazer com que a glicose esteja presente em um nível suficiente para aumentar a energia muscular, melhorando o rendimento durante os exercícios.

O QUE É DEXTROSE E MALTODEXTRINA?

Dextrose é um carboidrato simples ou monossacarídeo, derivado do amido de milho, sendo absorvido rapidamente pelo organismo e convertido em glicose (açúcar). Ele é grande aliado no ganho de massa muscular para quem prática atividade física principalmente musculação e serve como fonte de energia em atividades aeróbicas.

Já a maltodextrina — ou como alguns chamam malto — está presente no grupo dos denominados carboidratos complexos,  que são digeridos pelo organismo de maneira mais lenta; logo, acabam promovendo um aumento glicêmico lento e gradativo. A glicemia é a taxa de glicose no sangue que será coletada pelas células para proporcionar mais energia ao corpo.

COMO ELAS AGEM NO ORGANISMO?

Por ser um carboidrato simples, em poucos minutos a dextrose consegue elevar as taxas de glicose no organismo, fornecendo ao corpo energia de forma mais rápida, aumentando rapidamente o açúcar no sangue e disponibilizando energia de forma bastante rápida, otimizando a prática da atividade física. Além da reposição do glicogênio muscular, facilita a utilização dos outros nutrientes como por exemplo, a proteína. “Por possuir um alto índice glicêmico, seu pico de insulina será rápido e desta forma, maior será o transporte de proteínas, que são aminoácidos e outros nutrientes para as células, favorecendo a recuperação e podendo melhorar a construção de massa muscular” explica a nutricionista pós-graduada em nutrição funcional, Karla Lacerda.

Já a maltodextrina por ser um polissacarídeo (carboidrato complexo) tem a sua absorção é mais lenta, pois precisa ser quebrado em moléculas menores para o organismo absorver, promovendo a hipertrofia (aumento) muscular e evitando episódios de hipoglicemia.

Continua após a publicidade

COMO CONSUMIR DEXTROSE E MALTODEXTRINA?

  • dextrose

Segundo Viviane Gomes, nutricionista do Instituto Castro, a dextrose é indicada para esportistas que praticam exercícios moderados e intensos com longa duração para que reponham rapidamente seus estoques de energia e tenham um bom desempenho. “A atividade física endurance engloba exercícios aeróbicos de longa duração (triatlo, corrida, pedal, maratonas). Nesta prática esportiva, a perda de glicogênio muscular e hepático pode resultar em queda do desempenho e fadiga. Para delongar esta ocorrência, é importante a ingestão de carboidratos antes, durante e depois do exercício. O consumo de carboidratos deve ser majorado durante os dias que antecipam a prova ou um treinamento intenso. O consumo deve ser realizado de 3-4 horas antes do treino (uma refeição maior) e de 30-60 minutos antes do exercício (uma refeição menor ou suplemento). A dextrose deve ser consumida logo após o treino, quando o corpo precisa de carboidratos de alto índice glicêmico para ajudar na recuperação e na melhora da construção muscular” completa Karla Lacerda.

  • maltodextrina

Já a maltodextrina é uma substância suplementar indicada para a musculação (poderá ser benéfica aos adeptos de outras práticas físicas, como exercícios de alta resistência: ciclismo, corrida, entre outros) que deve ser ingerida no pré-treino, ou seja, no que antecede a prática, uma vez que a meta é assegurar que o corpo tenha uma boa disposição para os exercícios, sem que rapidamente atinja os níveis de fatiga. Especialistas também recomendam a ingestão da maltodextrina durante a prática, principalmente se forem treinos de longa duração; ou se a rotina da musculação também incluir exercícios aeróbicos.

“Não existe uma quantidade certa de consumo de maltodextrina, visto que isso varia de pessoa para pessoa. Ou seja, o consumo ideal dependerá de inúmeros fatores, entre eles o peso, metabolismo, bem como a carga do treino (intenso, moderado). Em caso de dúvidas, o praticante deverá buscar uma orientação nutricional antes de dar início à suplementação” conta a educadora física e coordenadora técnica da Fit Anywhere, Alaíde Martins Marques Souza.

QUAIS AS RESTRIÇÕES DO CONSUMO? 

“É importante que o praticante busque uma orientação nutricional para ter conhecimento sobre o consumo das substâncias: melhor horário para ingerir, quantidade adequada, entre outros” ressalta Alaíde “O nutricionista levará em conta as características de cada indivíduo para indicar o melhor consumo das substâncias, além também de prescrever o melhor plano alimentar para o atleta, de acordo com suas especificidades. Basicamente, sem um devido acompanhamento nutricional, o consumo destas — e de outros suplementos alimentares — se torna arriscado e inadequado”.

Pessoas acima do peso e que não praticam atividade física não devem consumir os suplementos, pois pode ajudar elevar ainda mais o peso. Portadores de diabetes tipo II, e indivíduos com algum histórico de hipoglicemia deverão também evitar o consumo de ambas as substâncias, uma vez que elas promovem a concentração glicêmica no sangue.

Mas, para quem quer  conquistar o tão sonhado shape (e já consultou um especialista), a ingestão diária da dextrose e malto faz uma grande diferença, não somente na quantidade, mas também em determinados horários, especialmente em que alguns alimentos serão ingeridos pelo atleta.

Continua após a publicidade

Publicidade