Os 9 momentos mais fofos da Olimpíada Rio 2016

A gente se emociona com as vitórias, as derrotas, os abraços, o esforço... Entenda como a competição foi além das medalhas e deixou o público com os olhos marejados

Por Giulia Granchi Atualizado em 22 out 2016, 16h15 - Publicado em 17 ago 2016, 13h42

O choro da vitória!
Na Olimpíada de Pequim, Diego Hypólito caiu de bumbum. Na de Londres, caiu de cara. Mas foi em casa, no Rio de Janeiro, que o ginasta finalmente conseguiu a medalha olimpíca de prata para a sua belíssima coleção.

Alex Livesey/Equipa/Getty Images
Alex Livesey/Equipa/Getty Images

Espírito olímpico
Durante a prova de 5.000 metros, a norte-americana Abbey D’Augostino e a neozelandesa Nikki Hamblin se chocaram no caminho. Nikki voltou para ajudar a adversária a se levantar. Elas chegaram na 15ª e 16ª posição, com direito a abraço no final. Mas o melhor é: o Comitê Olimpíco decidiu que as duas deveriam se classificar para a final pela incrível atitude.

Ian Walton/Equipa/Getty Images
Ian Walton/Equipa/Getty Images

Amor no rugby
Com direito a muita fofura e balões de coração, a jogadora de rúgbi Izadora Cerullo, a Izzy, disse sim à voluntária Marjorie Enya durante a entrega de medalhas da competição (na qual a Austrália levou o ouro).

David Ramos/Equipa/Getty Images
David Ramos/Equipa/Getty Images

Volta por cima
Depois de todo o preconceito sofrido após ser desclassificada da Olimpíada de Londres, a judoca Rafaela Silva mostrou ao Brasil inteiro que o seu lugar é no pódio. Em entrevista para a BOA FORMA, ela contou que o seu sonho de atleta era conseguir a medalha olimpíca, a única que lhe faltava. No dia 8 de agosto, Rafa consquitou a tão sonhada medalha de ouro!

David Ramos/Equipa/Getty Images
David Ramos/Equipa/Getty Images

Ouro inédito
A seleção de Rúgbi de Fiji, composta por atletas que dividem o tempo dos treinos com empregos como o de carceireiro, carregador de malas e cortador de cana, deram ao país, uma pequena ilha do Pacífico, a primeira medalha olímpica em 60 anos de participação.

Mark Kolbe/Equipa/Equipa/Getty Images
Mark Kolbe/Equipa/Equipa/Getty Images

Levantamento de peso?
Em momento (muito) fofo e divertido, o halterofilista Fernando Reis mostra a diferença entre os corpos dos atletas olímpicos levantando Flavinha, ginasta brasileira.

View this post on Instagram

@flavialopessaraiva tá maior do que o @rreisfernando 😱😱 Eles ainda vão competir! Quem 😍😍 esses dois e vai deixar torcida? #eusoutimebrasil🇧🇷🏆

Continua após a publicidade

A post shared by Time Brasil (@timebrasil) on

 

Diplomacia no esporte
A situação entre a Coréia do Sul e a Coréia do Norte, apesar da guerra ter acabado há 63 anos, continua não sendo boa. Mas as ginastas Hong Un-jong e Lee Eun-ju não ligaram para a política dos seus países e deixaram o espírito olímpico reinar, tirando uma selfie e depois essa foto super fofa!

Reprodução/Korean Times
Reprodução/Korean Times

O fã supera o ídolo
Em 2008, Joseph Schooling, aos 13 anos, pediu para tirar uma foto com Michael Phelps. No dia 12 de agosto, o jovem de Singapura bateu seu ídolo e conquistou o ouro no 100 metros borboleta (o primeiro geral na história do país). Imagina só a felicidade!

View this post on Instagram

Em 2008, @josephschooling, aos 13 anos, pediu para tirar uma foto com Michael Phelps. Ontem, o jovem de Singapura bateu seu ídolo e conquistou o ouro no 100 metros borboleta (o primeiro geral na história do país). Que demais!! 🎖🎖 #bfnasolimpíadas #torcidaBF #rio2016

A post shared by BOA FORMA (@boaforma) on

 

No ritmo de Kiribat
David Katoatau, halterofilista de  Kiribati, país da Oceania, terminou na 14ª posição da classificação geral no levantamento de peso até 105kg. Mas o seu legado foi outro: o kiribatiano remexeu os quadris e ganhou o coração do público!

 

Continua após a publicidade
Publicidade