Rio 2016: conheça a atleta olímpica mais completa do mundo

A belga Nafissatou Thiam se consagrou, aos 21 anos, como a atleta mais completa do atletismo e superou o favoritismo de competidoras mais experientes

Por Daniela Bernardi - Atualizado em 22 out 2016, 15h45 - Publicado em 16 ago 2016, 14h28

O heptatlo é uma modalidade que envolve sete tipos de disputa: 100 metros com barreiras, salto em altura, arremesso de peso, 200 metros rasos, salto em distância, lançamento de dardo e 800 metros. Ufa! Durante dois dias, as competidoras somam pontos para ver qual delas é a atleta mais completa dentro do atletismo. No último domingo (14), Nafissatou Thiam, uma belga de apenas 21 anos, se consagrou a melhor de todas. Com exclusividade, ela conversou com BOA FORMA sobre sua performance.

Veja também: Cláudia Santos perdeu uma perna e encontrou no remo disposição para recomeçar

“Sinceramente, não esperava que fosse subir no pódio logo na minha primeira olimpíada”, diz Nafi, como prefere ser chamada. Apesar de ter terminado o primeiro dia da competição em segundo lugar, a jovem só percebeu que tinha chances de medalha após a quinta prova. “Já participei de campeonatos em que caí muitas posições no segundo dia. Só quando fui bem no salto em distância, me dei conta de que talvez pudesse fazer algo marcante aqui no Rio.” A tática então, foi focar no que ela já havia treinado. “Quando chega a hora do vamos ver, não adianta inventar. Tudo o que podia ser feito já tinha sido trabalhado no período de preparação. Depois, você tem que fazer o que sabe sem pensar muito”, recomenda Naji, que superou as dores no cotovelo e lançou um dardo a 53, 13 metros.

E mais: como a maternidade ajudou corredora brasileira a superar barreiras no esporte

A participação que tinha como objetivo “ganhar experiência” – como ela mesma definia – se transformou em ouro, superando as favoritas da modalidade. “O 800 metros é o meu maior desafio. Antes, tinha medo de correr porque era bem pior do que as outras. Mas treinei tanto durante o ano que agora, apesar de ainda precisar melhorar, não temo mais a prova”, revela. Focar apenas em um dos estilos? “Jamais! Ficaria entediada se só precisasse saltar, ou só lançar, por exemplo. Nunca fui a melhor em nenhuma das modalidades, mas sempre fui boa em todas. Desde pequena, adorava fazer um pouco de tudo.” Agora, o mundo todo sabe disso, Nafi.

 

Continua após a publicidade
Publicidade