Como traçar limites e metas quando a sua academia é a sua casa

Se você treina em casa, estabelecer um espaço específico para o treino e buscar acompanhamento sempre que tiver dúvidas é essencial

Por Marcela De Mingo Atualizado em 14 jun 2022, 16h04 - Publicado em 21 jun 2022, 08h00

Desde 2020, muitos de nós têm lidado com uma questão comum: as nossas casas viraram o ambiente em que fazemos tudo. De escritório a academia, o ambiente doméstico passou por uma série de adaptações por conta da pandemia de coronavírus e, por mais que a reabertura já tenha acontecido, o cenário continua assim para muita gente. 

Falando especificamente do exercício físico, é fácil entrarmos em um loop como o do homeoffice: transformamos o nosso quarto em academia, deixamos a prática de lado porque estamos sem tempo ou fazemos o exercício de qualquer jeito, porque existem outras demandas na fila de espera. 

Isso é negativo por muito motivos, por isso, conversamos com o personal trainer Murilo Queiroz, filiado à GetNinjas, para entender como traçar limites quando a sua casa também faz as vezes de academia. 

EXERCÍCIOS FÍSICOS EM CASA: VALE A PENA FAZER? 

Para o profissional, quando se fala em práticas físicas em casa, a maior dificuldade que ele observa é exatamente saber por onde começar. Os vídeos na internet costumam ser a fonte de informação mais comum nesse caso, mas, mesmo assim, as pessoas não têm conhecimento sobre em qual estágio estão e se aquela prática gravada é adequada para elas. 

“É isso que pode gerar alguns problemas e lesões”, explica Murilo. “Muitas vezes, a pessoa vê um indivíduo magro realizando exercícios de grande impacto e prometendo secar a barriga. Porém, a pessoa assistindo ao vídeo está sedentária e com sobrepeso. Logo, esta não é a atividade mais adequada para ela”. 

Dessa forma, um primeiro passo essencial é buscar uma avaliação médica: contar com um acompanhamento multidisciplinar, mesmo que seja pontual, é importante para entender como está a saúde do seu corpo, o que é ou não adequado para esse momento da sua vida e quais seriam as práticas mais adequadas.   

E tudo isso, claro, precisa estar acompanhado também de uma alimentação equilibrada, que ofereça o suporte para as práticas físicas, mesmo que feitas em casa e de forma mais leve. A sensação de bem-estar e o organismo saudável será resultado dessa somatória, independentemente da intensidade do exercício físico.  

O seu objetivo com a atividade física também tem peso aqui: se você busca desestressar e acalmar, a ioga é mais indicada do que um treino HIIT. Se quer ganhar energia para o dia, correr ou pular corda podem ser boas opções. 

Visto isso, vamos para a parte prática: 

COMO ESTABELECER LIMITES E METAS TREINANDO EM CASA? 

1

Faça a lição de casa

Se você seguiu a orientação anterior, o segundo ponto seria ter em mãos aulas que sejam adequadas para o seu estágio de treinamento. Se você pretende treinar com o auxílio dos vídeos do YouTube, é possível encontrar aulas de muitas modalidades (de ioga à dança), para todos os estágios. Faça uma seleção daquelas que se adequam ao seu momento e tenha-as à mão para o próximo ponto. Vale também procurar aulas que aconteçam online seguindo essas mesmas premissas. 

Continua após a publicidade

2

Planeje-se

O ideal é saber exatamente quanto tempo você pode dedicar à atividade física. Se você só tem 30 minutos por dia, não adianta escolher aulas de yoga de uma hora para praticar durante a semana. Seja realista e combine a sua seleção de aulas com o tempo que você tem disponível. Lembre-se também de alternar as práticas: um dia ioga, outro dia corrida, no outro um treino HIIT… isso é importante para oferecer diferentes estímulos ao corpo.

3

Tenha um ambiente só para os exercícios físicos

E que, de preferência, não seja no mesmo quarto onde você dorme. Isso pode gerar sinais mentais contraditórios e interferir com o seu padrão de sono, por exemplo. 

“O espaço e o material adequado é importante para pessoa iniciar e se manter focada e disciplinada”, continua Murilo. Seja um canto específico da sala, um segundo quarto ou, até mesmo, a academia do prédio, determine o ambiente onde esses exercícios serão feitos e deixe os materiais necessários por lá. 

4

Siga as orientações adequadas

Já comentamos sobre isso, mas vale o reforço: não esqueça do acompanhamento e, se necessário, busque um profissional de educação física para orientar você sobre a melhor maneira de executar movimentos ou intensificar exercícios. 

Mais importante que o espaço é o acompanhamento sobre como fazer os exercícios e para que ele está sendo destinado”, diz Murilo. “O mesmo exercício, pode variar de indivíduo para indivíduo de acordo com a intensidade, volume e estágio de treino.”

5

Saiba identificar os limites do seu corpo

Outro ponto muito importante, segundo o profissional, é se atentar à execução correta e evitar sobrecargas de necessárias em áreas chave do corpo, como as articulações e a coluna lombar. 

Além disso, vale a pena dar uma atenção especial à intensidade do treino, para evitar levar o corpo ao limite, ou, por outro lado, pegar leve demais, não oferecendo estímulos que gerem a evolução nas práticas. 

Continua após a publicidade

Publicidade