3 mitos sobre a hipertrofia que estão atrapalhando os seus resultados

Não sabe mais o que fazer para ganhar massa muscular? Confira, primeiro, se você está cometendo estes erros

Por Amanda Panteri Atualizado em 29 set 2021, 22h14 - Publicado em 19 out 2021, 09h00

O que não falta na internet são conteúdos sobre ganho de massa magra. Mas será que dá para confiar em tudo que lemos ou assistimos? Uma coisa é certa: fugir de fórmulas milagrosas e abandonar antigos conceitos é o primeiro passo para não se frustrar e alcançar seus objetivos.

Eduardo Netto, profissional de educação física e diretor técnico da Bodytech, indica quais são as falácias que estão atrapalhando o seu objetivo:

1 – Quanto mais intenso o treino, melhor

Durante muito tempo, existiu a concepção de que treinar na intensidade máxima seria mandatário para alcançar a hipertrofia muscular. Contudo, hoje em dia, a ciência já sabe que o mais importante é levarmos em consideração outras variáveis.

Volume dos exercícios, nível de aptidão física e frequência dos estímulos são tão essenciais quanto o esforço que você faz para levantar os pesos. Mais do que nunca, o auxílio de um profissional na prescrição do treinamento vai garantir que a meta seja atingida de forma segura e saudável. Quando a pessoa treina sozinha e sem qualquer tipo de instrução, a chance de acontecer o efeito platô (dificuldade em evoluir) é grande — sem falar no risco de lesões.

Além disso, os intervalos de recuperação e repouso devem ser bem definidos. Eles servem para que os tecidos, que sofreram microlesões durante as lesões, se regenerem e cresçam adequadamente. Portanto, priorize noites de sono de qualidade.

2 – Quanto mais proteína por dia, melhor

Estudos mostram que a ingestão diária acima de 1,6 gramas de proteína por quilograma de peso corporal não promove ganho adicional de massa muscular.

Parece que existe um limite máximo de síntese proteica causada pelo consumo desse macronutriente. Então, já sabe: exagerar nas doses de whey pode não garantir os músculos que você deseja. Pelo contrário: pode sobrecarregar órgãos como os rins. O ideal é consultar um nutricionista.

3 – Quanto mais tempo treinando, melhor

Treinos longos e cheios de exercícios apenas sobrecarregam a musculatura — e principalmente as articulações. O mais importante é realizar um estímulo de intensidade apropriada e não apenas de longa duração.

Continua após a publicidade

Publicidade