5 alimentos funcionais que você deve incluir no seu prato no verão

Para evitar alguns incômodos típicos da época (olha a infeção urinária aí, meninas!) e manter a saúde sempre em dia, você deve apostar nesses superalimentos! Descubra quais são eles

Por Maria Lúcia Zanutto - 19 out 2016, 11h11

Durante o verão, o seu cardápio deve estar recheado de alimentos como castanha-do-pará, espinafre e mamão. O motivo é simples: são carregados de nutrientes e pouco calóricos. A melhor notícia, no entanto, é que esses ingredientes são, acima de tudo, essenciais para a saúde feminina, prevenindo problemas pontuais. A Dra. Paula Vasconcelos, nutróloga do Espaço Volpi (SP), explica quais são:

1. Cranberry
O consumo regular dessa frutinha (suco, desidratada ou extrato da mesma) previne infecção urinária, muito comum entre as mulheres, caracterizado por ardência e urgência ao urinar, sempre em pequenas quantidades. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Nacional de Taiwan mostrou que os riscos de infecção urinária são 60% maiores em mulheres que não consomem cranberry. A hipótese que justificaria o efeito benéfico da fruta é a presença de compostos que inibem a aderência da bactéria Escherichia coli, principal causadora da doença, na mucosa do trato urinário. Recomendação: um copo de suco diário.

2. Castanha-do-pará
Rica em selênio, ela é fundamental para o bom funcionamento da tireóide, glândula que regula o metabolismo. O selênio previne, por exemplo, o hipotireoidismo, doença que atinge 15% das mulheres adultas (a incidência é 10 vezes maior do que nos homens), principalmente no período que antecede a menopausa, e pode dificultar a perda de peso ou manutenção do mesmo. Recomendação: uma ou duas unidades diárias, que podem ser consumidas nos lanchinhos entre as refeições ou nas saladas.

3. Espinafre
O vegetal contém boas doses de fibras, o que favorece o funcionamento do intestino. Estudo publicado no jornal American Journal of Epidemiology revelou que mulheres que comem duas porções de vegetais como espinafre – e podem ser incluídos na lista couve-flor, brócolis, rúcula, agrião e couve – têm 45% menos risco de desenvolverem câncer de mama. Recomendação: duas porções diárias, que podem ser incluídas nas saladas.

E mais: 7 alimentos para comer à noite que vão ajudar você a desinchar 

4. Atum
Esse tipo de peixe é rico em ômega-3, assim como o salmão e a sardinha. O nutriente melhora o funcionamento das atividades cerebrais e evita o desenvolvimento de processos inflamatórios no organismo. “O ômega-3 é composto de dois tipos de ácidos graxos: o EPA e o DHA. O primeiro diminui as atividades das plaquetas sanguíneas, evitando coágulos de sangue, que podem levar a um derrame ou infarto, e também reduzem os níveis de triglicerídeos, outro tipo de gordura que, em excesso, é ruim para o organismo”, explica Dra. Paula.  “Já o DHA ajuda a evitar arritmias cardíacas, estabilizando a atividade elétrica no coração”. Além de ser uma opção leve para o almoço ou jantar.

Uma pesquisa realizada no Centro para a Programação Fetal, no Statens Serum Institut de Copenhagen, na Dinamarca, e publicada na revista da Associação Americana do Coração, demonstrou que o risco de mulheres em idade reprodutiva terem distúrbios cardiovasculares é muito menor naquelas que consomem peixes ricos na substância. A pesquisa, realizada durante oito anos com 49 mil mulheres com idade média de 30 anos, concluiu que aquelas que raramente ou nunca ingeriam pescados, tiveram 50% mais problemas cardiovasculares – 90% a mais em relação às mulheres que comiam, semanalmente, peixes ricos em ômega-3. Recomendação: duas a três porções semanais.

5. Mamão
Rico em betacaroteno, pigmento presente nos vegetais de cor laranja, como também é o caso da cenoura, da laranja e da abóbora – substância que ajuda a manter o bronze por mais tempo. Precursor da vitamina A, o betacaroteno combate os radicais livres, estimulando o sistema imunológico e garantindo a saúde de todos os tecidos. Em especial, auxilia no rejuvenescimento da pele. Não sem motivo, é um senhor aliado na dieta de verão.  “Quando transformado em vitamina A, o betacaroteno recupera a pele, além de protegê-la dos raios solares e favorecer o bronzeamento”, diz Dra. Paula. Recomendação: uma porção diária. 

Veja também: 9 alimentos (que realmente) ajudam a secar o abdômen

Continua após a publicidade
Publicidade