Guia do whey protein: conheça os tipos de proteína e suas funções

Hidrolisada, isolada ou concentrada? Os três tipos de whey protein possuem características e indicações variadas - veja como escolher o seu aqui!

Por Marcela De Mingo Atualizado em 11 jul 2022, 18h05 - Publicado em 11 jul 2022, 08h00

Quando se fala em whey protein não é nenhuma novidade que existem muitas opções no mercado. Mas você já reparou nos tipos diferentes de proteína? Além das marcas variadas, é possível comprar uma proteína hidrolisada, concentrada ou isolada. E como saber qual aquela que melhor se encaixa às suas necessidades?

PARA QUE SERVE O WHEY PROTEIN? 

Para entender sobre os diferentes tipos de whey protein, precisamos lembrar o que, exatamente, ele é: um suplemento alimentar proteico produzido a partir do soro do leite, que é extraído durante o processo de produção do queijo. 

“É uma proteína considerada de alto valor biológico por conter todos os aminoácidos essenciais que precisamos ingerir através da alimentação”, explica Thais Bonelly, head de Nutrição da Vitamine-se. 

E nós já comentamos sobre a importância das proteínas para a saúde, mas é sempre bom relembrar: elas são fundamentais para o funcionamento do nosso organismo. 

“O whey protein pode auxiliar na formação dos músculos, de ossos, na melhora da imunidade, no controle de peso, na saúde da pele e alguns estudos ainda mostram benefícios em pacientes com hipertensão arterial e diabetes”, explica. 

A suplementação com whey pode ser benéfica para diversas pessoas e o seu uso é bem versátil – pode ser tomado com água, em vitaminas, shakes e usado em receitas de bolos, panquecas e caldas. 

MAS ATENÇÃO!

O whey protein é um complemento alimentar – e não a base proteica da alimentação. “Para melhores resultados, seu consumo deve ser associado à alimentação equilibrada e à prática de atividades físicas”, explica a head. 

 

E aí vai uma curiosidade: você sabia que o whey protein não é só para quem pratica esportes? Pois é, segundo a profissional, essa é uma ótima fonte proteica e pode ser indicada para pessoas que precisam de um complemento na dieta, independentemente da prática de exercícios. “Por isso, pessoas sedentárias, idosos e indivíduos acamados também podem ser beneficiados com essa suplementação”, explica. 

OS TRÊS TIPOS DE WHEY PROTEIN

Continua após a publicidade

1

WPC: Whey Protein Concentrado

 

“Foi o primeiro tipo de whey a ser desenvolvido”, explica Thais. “Ele passa por um único processo de filtragem e sua concentração proteica pode variar de 40% a 80%.”

Essa versão do suplemento tem maior quantidade de carboidratos, gorduras e micronutrientes que são naturais do leite. Dentre as três versões, é a que apresenta absorção mais lenta e, geralmente, tem melhor sabor e custo x benefício.

Continua após a publicidade

2

WPI: Whey Protein Isolado 

 

“Essa versão passa por um processo de filtragem específico que isola ainda mais a parte proteica do leite. Por isso, é a versão que possui maior concentração, cerca de 90% de proteína e baixíssimas quantidades de gorduras e carboidratos, incluindo a lactose”, diz. 

Costuma ser mais indicada para pessoas intolerantes ou que estão em uma dieta restrita. Além disso, o WPI também possui rápida absorção e, na maioria das vezes, tem um custo mais elevado.

3

WPH: Whey Protein Hidrolisado 

 

“O WPH passa por um processo de produção mais complexo já que, além da filtragem, o soro do leite também passa por uma hidrólise, ou seja, a quebra da proteína, para que seja absorvida de maneira mais fácil e rápida”, explica. 

Por causa desse processo, essa é a versão mais cara de whey protein, e é indicada para pessoas que apresentam algum tipo de dificuldade de digestão.

BÔNUS: Whey 3W

Na dúvida, dá para escolher os três? Sim! O Whey 3W é, justamente, uma junção das três versões citadas acima, com maior quantidade de whey protein concentrado. É um produto com 80% de concentração de proteína, em geral, e bom sabor e custo-benefício. 

COMO SABER QUAL O WHEY IDEAL PARA MIM? 

Contar com a orientação de um médico ou nutricionista é vital para esse processo, afinal, durante a consulta, o profissional será capaz de entender as necessidades de cada indivíduo e indicar a versão que mais atende a essa demanda. 

“Em resumo, a versão hidrolisada é indicada para pessoas que sentem algum tipo de desconforto abdominal – dor, inchaço, cólicas, etc. – ou que possuem dificuldade de digerir proteínas”, esclarece Thais. “Já a versão isolada é indicada para intolerantes à lactose e para pessoas que estão em dieta restrita, principalmente em carboidratos. Por fim,  a versão concentrada é muito indicada para adultos que precisam de um complemento proteico, mas que não tenham nenhuma restrição alimentar.”

Quando se fala na quantidade de consumo ideal para cada um desses tipos, os valores também variam – e, mais uma vez, entra aí a importância da indicação nutricional. 

No entanto, segundo alguns estudos científicos, pensando em ganho e manutenção de massa muscular em adultos saudáveis, a recomendação proteica pode variar de 1,5 a 2,5g de proteína por quilo de peso por dia. 

“No geral, a indicação proteica varia de 20g a 35g por refeição para adultos saudáveis. A orientação exata só pode ser feita por um nutricionista, levando em consideração alguns fatores como: objetivo, estado nutricional, rotina, necessidades metabólicas, sexo, idade, entre outros fatores”, finaliza. 

Continua após a publicidade

Publicidade