Entenda porque você deveria colocar a malanga na sua alimentação

O tubérculo é altamente benéfico e fácil de ser encontrado, mas pouco estudado ou utilizado na culinária cotidiana.

Por Marcela De Mingo Atualizado em 11 nov 2021, 18h21 - Publicado em 21 nov 2021, 08h00

Você já ouviu falar em malanga? Pois é, o nome pode parecer bastante diferente, mas este é um alimento super comum e típico da América do Sul. 

Para quem não conhece, no entanto, não tem problema, nós explicamos: malanga é um tubérculo de clima tropical, proveniente, como já falamos, da América do Sul, mas também encontrado em outras regiões, como América Central, África, Caribe, Pacífico, Nova Zelândia e Ásia. A sua aparência também não é tão desconhecida assim, já que a malanga é semelhante ao inhame e tem o tamanho de uma batata comum. 

Outro detalhe sobre o tubérculo é que ele é altamente nutritivo. “É fonte principal de carboidrato, mas considerado um carboidrato complexo por possuir boa fonte de fibra”, explica a nutricionista Natalie Marques. “Auxilia na melhora do intestino, possui baixo índice glicêmico comparado com as batatas, auxilia na redução do colesterol, promove a saciedade e, consequentemente, o controle do peso.”

A malanga ainda possui baixo índice de gordura e é uma ótima fonte de potássio, o que pode contribuir com o controle da pressão arterial. Também conta com fontes antioxidantes de vitamina C e, por fim, é uma hortaliça fácil de cultivar, mas ainda pouco estudada. 

“Seu consumo é parecido com os tubérculos de maneira geral”, continua a nutricionista”. “Deve-se retirar a casca marrom e consumir a parte clara sempre cozida. Podemos preparar a malanga de várias maneiras: assada, cozida ou frita, em sopas, ou como purê. Também pode ser moída para fazer farinha, para utilização como espessantes ou substituto de outras farinhas comuns.”

Continua após a publicidade

Publicidade