Google revela os produtos de beleza que são tendência em 2017

Entre os destaques estão a maior procura por máscaras faciais, ingredientes naturais e bombas de banho

Foi-se o tempo em que o Google servia apenas para atender nossas curiosidades. Hoje, o site de busca é capaz de identificar as grandes tendências do mundo – das dúvidas de saúde da população às novidades da moda. Nesta quinta-feira (23), a empresa americana divulgou um relatório que aponta tudo o que promete bombar em 2017 no quesito beleza.

O documento impressiona: ao longo de 78 páginas, o report identifica as tendências de cuidados com a pele nos Estados Unidos, na França e no Japão. “O objetivo é ajudar marqueteiros, pesquisadores, desenvolvedores e experts em beleza a entenderem sua audiência global e as principais buscas”, afirmam Olivier Zimmer e Yarden Horwitz, líderes da área de projetos de tendências do Google.

Para fazer o relatório, a equipe de Zimmer e Horwitz levantou as maiores pesquisas na categoria de beleza e acompanhou, mensalmente, o volume com que elas foram feitas entre setembro de 2014 e setembro de 2016. “Primeiro, removemos qualquer efeito sazonal, e aí medimos, ano a ano, a velocidade e a aceleração de crescimento de cada busca”, contam. Baseado nessas métricas, eles conseguiram identificar padrões e apontar as grandes tendências para este ano.

A seguir, confira alguns dos principais destaques do documento:

Buscas em alta

Nos EUA:

  • Sal de Epsom (usado durante o banho para, entre outras coisas, reduzir inflamações, facilitar a função muscular e melhorar a absorção de nutrientes);
  • Bombas de banho;
  • Máscara facial de carvão.

Na França:

  • Óleo de coco orgânico;
  • Sabão de Marselha (sabão neutro para usar no corpo e lavar roupa);
  • Máscara removedora de cravos.

No Japão:

  • Cosméticos para limpar a pele (em geral);
  • Sabonete facial enzimático;
  • Hot cleansing (cosméticos de limpeza que aquecem em contato com a pele).

Buscas em baixa

Nos EUA:

  • Azeite de oliva para pele;
  • Óleo de amêndoa para pele;
  • Clareamento de pele.

Na França:

  • BB Cream;
  • Usos do limão para pele;
  • Sabão de Leite de Burra.

No Japão:

  • Toalha demaquilante;
  • Gordura facial (como a papada);
  • Creme de tofu.

Máscaras

Mulher com máscara facial preta

 (petrenkod/Thinkstock/Getty Images)

Elas são uma das grandes tendências para 2017 nos três mercados analisados, segundo o relatório. Máscaras faciais para tratar acne lideram as buscas, mas também merecem destaque as versões anti-idade e para acabar com cravos e oleosidade.

No Japão, a procura por máscaras se mostrou peculiar: as japonesas querem produtos para pernas, cutículas, mãos e calcanhares. “O crescimento de máscaras para o corpo pode ser um indicador de que essa tendência em breve vai decolar também nos Estados Unidos e na França”, analisa o report.

Leia mais: 3 máscaras faciais com iogurte para fazer em casa

YouTube

As pesquisas por máscaras também cresceram no site de vídeos mais famoso da internet. O interesse maior é por saber as sensações provocadas pela aplicação desses produtos, os reais efeitos deles na pele e a experiência de usá-los.

Cuidados naturais

Um dos comportamentos mais notáveis, de acordo com o documento do Google, é a procura por ingredientes e produtos naturais. Nos Estados Unidos, a busca por cosméticos de pele veganos aumentou 83% nos últimos anos. Entre as francesas, essa tendência também está crescendo, mas não na mesma velocidade que na terra do Tio Sam. No Japão, ainda não se nota esse interesse.

Argila

Ela é um dos ingredientes em que as pessoas mais têm “dado um Google”. As principais buscas são pelas versões em máscara contra acne, cravos e oleosidade. O mineral também é procurado para recuperar, cicatrizar e fazer detox na pele.

Fique por dentro: Cabelo oleoso? Faça um detox do couro cabeludo com argila verde

A explosão das bombas de banho

Essas bolinhas efervescentes estão no topo das buscas relacionadas a banho nos Estados Unidos e na França. Entre as americanas, o produto vem crescendo desde o fim de 2015; já entre as francesas, foi só no segundo semestre de 2016 que as bombas ganharam destaque.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s