Terapia e felicidade, com Priscila Conte Vieira A psicóloga Priscila Conte Vieira (CRP 08/30418), especialista em psicologia positiva, auxilia você a ter uma vida mais leve e mais feliz!

Comprar felicidade, é possível?

"Quantas vezes você colocou como meta de vida algum bem material para ser mais feliz?", questiona Priscila Conte Vieira

Por Priscila Conte Vieira Atualizado em 9 abr 2021, 19h05 - Publicado em 10 abr 2021, 07h00

Quantas vezes você colocou como meta de vida algum bem material ou até mesmo pensou que  tudo que precisava era  de um salário maior para ser mais feliz?

Quando observamos a pesquisa de Harvard sobre o desenvolvimento adulto, realizada por mais de 75 anos, que acompanhou aproximadamente 1000 pessoas, as grandes responsáveis por manter a saúde física e mental dos entrevistados, foram as relações pessoais, ficando na frente do dinheiro, emprego e fama.

Então pare e pense, aonde você está concentrando a sua energia e o seu tempo? No seu carro dos sonhos? Ou na construção de relacionamentos saudáveis com as pessoas que ama e que quer por perto?

Sabemos que na situação atual está cada vez mais desafiador passar tempo de qualidade com as pessoas que amamos, e consequentemente, notamos um aumento no consumo, impulsionado pelas compras online. Será essa uma válvula de escape para as pessoas buscarem a tão procurada felicidade? Então vamos nos analisar um pouquinho: 

  • Você já comprou algo no impulso só para realizar algum outro desejo interno? 
  • Já comprou algo pois alguém disse que era bom, mas não necessariamente você queria aquilo? 
  • Já se percebeu montando carrinho de compras online pois estava entediado?
  • Suas metas de felicidade estão ligadas 100% a bens materiais ou sobre o montante do seu salário?

A maioria de nós está muito focado nas coisas materiais ou em realizações financeiras, e você pode estar se questionando “Mas Pri, dinheiro também traz felicidade! Posso comprar as coisas que quero e isso me faz feliz”. Pois então, nesse mesmo estudo de Harvard, foi constatado que o dinheiro nos auxilia a realizar as nossas satisfações pessoais, mas quem tem mais dinheiro não é necessariamente mais feliz. Ou seja, o dinheiro por si só não é capaz de gerar felicidade, mas pode nos auxiliar com outras metas, que nos trazem a sensação de prazer e propósito e, que, isso sim nos deixa mais felizes (que já conversamos em um outro texto aqui na revista).

Continua após a publicidade

Algumas coisas podem nos trazer essa sensação de contentamento e entusiasmo, como uma viagem por exemplo! Porém não podemos depender disso para nos sentirmos felizes. 

Lembre-se, a felicidade não está longe de nós, ela já habita aqui dentro e é mais sobre uma questão de vivê-la do que de encontrá-la ou até mesmo comprá-la!

Viva deliberadamente (propositalmente), busque sair do modo automático, perceba a si mesmo, escute suas emoções, se questione a respeito de algumas crenças internas e permita-se ser você mesmo! Você não precisa de muito para ser feliz!! E como  um conselho: foque nas suas relações, tanto com os outros, quanto com você mesmo! Uma das melhores universidades do mundo já constatou que é isso que pode nos fazer mais felizes, então não custa tentar!

Valorize suas conquistas, seus bens, mas saiba que você é mais que isso! Agradeça por ter dado o seu melhor para tê-los, mas se permita ser feliz sem depender da tecnologia incrível do novo celular, ou do salário de 5 dígitos. Seja feliz hoje mesmo, com o que você já tem, do jeito que você é, se divertindo com as pessoas que já fazem parte da sua vida! O restante faz parte mas não precisa ser o todo! Ps: Pode não ser uma jornada tão fácil, afinal, estamos olhando fundo no nosso autoconhecimento, mas você não está sozinho! Vamos juntos nessa jornada incrível, repleta de consciência, leveza, alegria, bem-estar e amor! 

_________________________

Oi, eu me chamo Priscila Conte Vieira, mas pode me chamar de Pri! Sou psicóloga, palestrante e mentora. Atuo na psicologia clínica, sou especialista em Psicologia Positiva, pós graduanda em Terapia Cognitivo Comportamental, master em autoconhecimento, coach de vida, practitioner em PNL e também criadora do Podcast Respira, não pira (que tal dar uma conferida lá no Spotify?!)

Estarei por aqui todas as semanas, abordando temas da Psicologia Positiva, felicidade, bem-estar e os auxiliando a serem as suas melhores versões, por meio do autoconhecimento e florescimento. Para saber mais sobre mim e me acompanhar no dia a dia, é só me seguir no Instagram! Estou por lá como @psi.priscilaconte Te vejo no próximo Sábado! Até mais <3 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade