Bianca Bin: “Não gosto, mas aceito e honro minha celulite”

Ao contrário de sua personagem, que busca vingança, a atriz de "O Outro Lado do Paraíso" procura trabalhar a autoaceitação

Por Aline Salcedo (colaboradora) Atualizado em 13 mar 2018, 19h28 - Publicado em 13 mar 2018, 12h22

Quem não se lembra da cena de O Outro Lado do Paraíso em que, após um salto de dez anos na trama, Clara retorna à sua cidade? Em um vestido vermelho justíssimo, ela ressurge em uma festa e diz a frase “Não imaginam o prazer que é estar de volta”.

A partir daí, a saga da personagem de Bianca Bin se resume à busca pela vingança. Enquanto isso, na vida real, a atriz ironicamente procura trabalhar a autoaceitação. “O mundo só nos vê bela quando a gente se sente assim. O elogio não tem que vir do outro, e sim de si mesma. Para mim, ser bonita é se aceitar, honrar seu corpo e confiar na intuição”, declara.

  • “Se estou saudável, não posso ficar triste porque meu bumbum tem uns furinhos – isso não merece que eu lhe atribua importância. Não vou dizer que gosto, mas aceito e honro a minha celulite. Ela é parte de mim!”, afirma.

    A autoestima que Bianca prega, claro, nem sempre é inabalável como em cena de TV. “Tem dias em que me sinto linda, e em outros me acho horrível, uma completa farsa. Penso: ‘Quando as pessoas vão descobrir que sou uma fraude?’ [risos] É uma luta comigo mesma para me amar mais”, admite.

    Quando o motivo da controvérsia é sua franjinha assimétrica, ela ri. “Mulher, esse cabelo está uma polêmica! Ninguém aceita essa franja torta porque ela é fora da caixinha. Rejeitam o diferente logo de cara. Só que eu estou amando meu cabelo novo!”, diz.

    Continua após a publicidade

    O corte moderninho, assinado pelo hairstylist Neandro Ferreira, que se divide entre Londres, Rio e São Paulo, foi pensado para reforçar a nova fase de Clara. Cristiane Vicente, do Projac, ainda iluminou o tom do cabelo de Bianca, que viu o guarda-roupa romântico e simplório da personagem dar lugar a vestidos que delinearam seu corpo.

  • “A fase recente está maravilhosa, os looks sofisticados, esses vermelhos… Mas é tão difícil ficar 11 horas sobre o salto alto, tão difícil usar roupa colada! Eu sinto meus órgãos espremidos lá dentro!”, reclama Bianca, que prefere optar por peças confortáveis, como o vestido de algodão branquinho que usava no dia da entrevista para a matéria de capa da edição de fevereiro de 2018 de BOA FORMA.

    Assine nossa newsletter e fique por dentro das últimas notícias de BOA FORMA

    “Admiro muito quem tem um olhar fashion, porque eu sou muito fraca para a moda. Até hoje escuto que devo me vestir melhor. Me falam: ‘Ah, não, Bianca, você não vai sair assim, né? Troca essa roupa pelo amor de Deus’. [risos] E odeio sutiã. É a primeira coisa que tiro quando entro em casa”, diz.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade