Como separar o lixo reciclável (corretamente)

O aerossol é reciclável? E a caixa de pizza?

Por Amanda Ventorin Atualizado em 9 jun 2022, 12h00 - Publicado em 17 jun 2022, 10h00

Você sabia que atualmente são coletadas mais de 140.000 toneladas de lixo urbano por dia no Brasil? Desse total, 60% não têm um destino final adequado, indo parar em aterros sanitários, mais conhecidos como lixões. Estima-se que cerca de 10 milhões de toneladas de resíduos sólidos (algo como 20 a 25% do total coletado de lixo urbano) não são coletados todos os anos, acabando por ter um destino incerto e muitas vezes, inadequado.

No entanto, nem todos esses resíduos precisariam ter um fim como esse. Até 30% dessa montanha de lixo produzidos diariamente nas cidades brasileiras é composta por materiais recicláveis, como plástico, vidro, papel, latas entre outros que, se adequadamente separados, coletados e encaminhados poderiam ser reaproveitados.

COMO RECICLAR O LIXO DE MANEIRA CORRETA

  • PLÁSTICO

Para o descarte correto, é importante saber qual plástico pode ser reciclado ou não: Copos, pratos e talheres descartáveis, brinquedos de plástico, para-choque de carros, sacos de plástico, canos de PVC são itens recicláveis.

Agora objetos como fraldas, absorventes, peças de plástico utilizadas na criação de computadores, celulares e outros materiais eletrônicos (existem lugares para descarte específico de eletrônicos), plástico tipo celofane, embalagens plásticas metalizadas (como as de salgadinhos e bolachas), tomadas, adesivos e cabos de panela não são recicláveis.

Agora que você já sabe o que pode ser reciclável, é hora de organizar o lixo: Para o reciclável, escolha um saco de lixo transparente para facilitar a identificação dos produtos. Não coloque os resíduos sujos no saco de lixo. Esvazie garrafas e recipientes, se possível higienize potes como de iogurte antes de colocá-los no lixo.  As garrafas e recipientes plásticos devem estar fechados já que embalagens abertas podem acumular água e tornar o material impróprio para reciclagem. 

  • VIDRO

O vidro é reciclável em quase todas suas formas (exceto vidros como lâmpadas, que são tóxicos e não reutilizáveis e o vidro temperado), mas o descarte irregular pode, muitas vezes, fazer com que as garrafas e objetos fiquem em aterros sanitários poluindo o meio ambiente. Muitas vezes, reutilizamos embalagens de vidro e dificilmente ela vai para o lixo. Mas quando algo quebra, mantê-lo em casa se torna inviável.

Para realizar o descarte correto de vidro (tanto para sua segurança como dos trabalhadores que recolhem seu lixo), a melhor maneira é enrolá-lo em jornal, colocar dentro da caixa de leite ou papelão, evitando o contato direto com a sacola plástica. Depois de embalá-lo, se for deixar a sacola junto com o resto do lixo para a coleta, é fundamental que o vidro fique a uma certa distância dos outros e, preferencialmente, tenha uma indicação do que se trata.

  • PAPEL

Na hora do descarte, o papel é aquele que pode mais gerar duvidas. Afinal, o papel sujo é reciclável? E se molhar?

Papéis e papelões, como caixas de pizza e pratos prontos com resíduos de gordura e alimentos, não são aproveitados, assim como papéis plastificados e o papel higiênico.

Continua após a publicidade

Agora, jornais, revistas, folhas de caderno, formulários de computador, caixas de papel e papelão em geral, aparas de papel, fotocópias, envelopes, folhas sulfite usadas (dos dois lados) e cartazes velhos são recicláveis.

Separe um lixo específico para os papéis, já que restos de alimentos, copos descartáveis e diversos tipos de líquido podem sujar ou contaminar os mesmos. Eles devem sempre estarem secos e sem resíduos de comida ou gordura.

Também desmonte caixas de papelão para diminuir o volume do lixo e ao invés de amassar papéis, rasgue-os para manter a resistência das fibras do material, que quando intactas facilitam o processo de reciclagem.

  • METAL

No dia a dia, grande parte dos resíduos de metais descartados são feitos de metais ferrosos, sendo os mais comuns o aço e o ferro. O aço é um tipo de material ferroso muito utilizado em embalagens e utensílios domésticos, o que os tornam ecológicos e sustentáveis. A lata feita do material, além de ser 100% reciclável, pode ser facilmente separada de outros materiais através de um processo magnético, facilitando a triagem para reciclagem.

Materiais domésticos como latas de molho, alimentos em conserva ou de óleo, tampa de garrafas, parafusos, roscas, pinças, chaves, grampos são itens recicláveis. O lacre da latinha pode ser reciclado junto a lata, caso você não queira destiná-lo para a confecção de artesanatos ou para instituições que o recebem e usam o material para outros fins que não o da reciclagem.

Para descartá-los não é necessário separar por tipo de embalagem ou utensílio. Descarte-os no cesto de recicláveis ou no cesto específico (cor amarela). Retire os restos orgânicos dos produtos, enxague a embalagem para ajudar a reduzir o cheiro e retire rótulos de papel ou acessórios de plástico caso tiverem.

Latas de aerossol podem ser um problema na hora do descarte. Essas embalagens muitas vezes são utilizadas como inseticidas, desodorantes, medicamentos, tintas, entre outros produtos. Na maioria dos casos essas embalagens podem conter resíduos de elementos químicos perigosos e o descarte incorreto traz riscos para a saúde e contaminar o meio ambiente.

Algo que poucos sabem, é que as empresas fabricantes desse tipo de material, assim como indústrias que utilizam muito aerossol em sua operação, como as automotivas que usam spray de óleo e tintas na fabricação e manutenção de veículos, devem fazer a logística reversa desses produtos. O processo garante a reciclagem dos materiais e seu retorno à cadeia como matéria-prima, conforme determina a Lei Federal nº 12.305/10, da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

reciclagem
mspoli/Getty Images

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade