Você sabia que comer em excesso acelera o envelhecimento?

De acordo com estudo, perder os excessos na cintura não é o único motivo para maneirar na quantidade de comida

Por Cristina Nabuco - 15 nov 2016, 16h47

Quer se manter mais jovem por mais tempo? Diminua as porções que coloca no prato. De acordo com uma pesquisa do Instituto de Química da Universidade de São Paulo, não cometer exageros à mesa retarda o envelhecimento reduzir 40% das calorias do cardápio evitou a morte dos neurônios de ratinhos de laboratório.

Leia mais: Como cortar 550 calorias por dia sem perceber

O resultado, publicado na revista científica americana Aging Cell, ampliou a lista de benefícios (entre eles, diminuição da incidência de câncer e de doenças cardiovasculares) relacionados a refeições leves. “Comer mais do que o corpo necessita provoca processos inflamatórios, sobrecarrega as mitocôndrias [o pulmão das células] e gera stress oxidativo [maior acúmulo de toxinas]”, explica a endocrinologista Cintia Cercato, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

Resultado: envelhecimento acelerado. Mas nada de extremismos. Reduzir 25% das calorias diárias (passar de 2 000 para 1 500) já traz um impacto positivo para a saúde. E isso deve ser para sempre. “Só por um mês não funciona”, avisa a médica.

Continua após a publicidade
Publicidade