Coronavírus X Salão de beleza: é seguro frequentar?

Descubra quais cuidados precisa tomar – e exigir – para poder voltar a frequentar o local em segurança em tempos de pandemia

Por Karina Hollo - 10 ago 2020, 08h27

Quatro meses após o início do isolamento social devido à pandemia do coronavírus, os cabelos mesmo tendo ganho cuidados especiais em casa, gritam por tesoura. A questão é: como poder se entregar a esses procedimentos sem medo e com segurança?

Muita calma nessa hora

Todos precisamos ser exigentes e conscientes neste momento desafiador. Os salões devem atuar com responsabilidade – mas você também! “É necessário procurar empresas que oferecem serviços de forma profissional e cobrar o cumprimento dos protocolos de biossegurança que estão no decreto governamental”, fala Rosângela Barchetta, sócia do Studio W. Para se informar, vale inclusive dar uma navegada pelas redes sociais dos salões para verificar quem cumpre as medidas determinadas pelo decreto.

Protocolos específicos

Agora, a segurança passa a ser prioridade. “Empresas responsáveis com foco em treinamentos e que cumpriram o isolamento no período de quarentena, normalmente investiram seu tempo ocioso em treinamentos para equipe, como fizemos, deixando os profissionais aptos para atendimentos respeitando todos os protocolos exigidos”, diz Rosângela, que disponibilizou para seus salões um curso em uma plataforma de ensino a distância com aprovação obrigatória e fundamental para retorno as atividades. Além disso, os sindicatos e a Associação dos salões de beleza do Brasil (ABSB) também disponibilizaram cursos em uma plataforma digital.

Coronavírus X Salão de beleza: Cuidados obrigatórios

Foram estipulados cuidados e procedimentos obrigatórios para todas as pessoas que frequentam o salão terem segurança:

  • Uso obrigatório de máscaras por todos (clientes, colaboradores e profissionais de beleza) durante todo tempo que estiverem no salão de beleza;
  • Atendimentos respeitando o distanciamento mínimo de 1,5 metro;
  • Protocolos de entrada no espaço com desinfecção de sapatos, mãos e álcool gel disponível em todas as áreas do salão;
  • Cumprimento do período de apenas 6 horas de abertura para que seja possível, no tempo restante, a higienização adequada do ambiente para o dia seguinte;
  • Uso de máscara e face shield para serviços com barbeiros, depiladoras e maquiadores;
  • Interdição temporária da lanchonete do salão.

Higienização constante e pagamento por aplicativo

No MG Hair Design, em São Paulo, além do investimento em infraestrutura e na aquisição de insumos, todos os colaboradores passaram pela vistoria de COVID-19 e seguem as medidas de biossegurança e as orientações do Sebrae Nacional. “O salão realizou também a sanitização de todo seu espaço, disponibilizou álcool em gel para uso dos funcionários e clientes e, além das máscaras, estão usando os EPIS de proteção. Para evitar a contaminação do ambiente, o cliente recebe um propé (proteção de pé) na recepção e, para garantir o bem estar de todos, um tapete descontaminante foi colocado na entrada do salão”, conta o hair stylist Marco Antonio de Biaggi.

Outra grande mudança é o agendamento e pagamento dos serviços por aplicativo. “A plataforma possibilita que o cliente confira horários disponíveis para os serviços que desejar, agende e também o pague por meio do app”, diz Marco. Dessa maneira, as pessoas não precisam tocar nas máquinas de pagamento, um objeto que é constantemente contaminado por outras pessoas.

“A cada atendimento, os assentos são higienizados, as luvas trocadas e roupões também. Eles são fornecidos para os profissionais e para os clientes.” O fluxo de clientes está sendo menor em decorrência das medidas de segurança e o horário deve ser marcado e seguido à risca, para evitar aglomerações na espera.

Continua após a publicidade

Sozinha, mas bem acompanhada

No Eron Araujo Salon, em São Paulo,a instrução é ir sem acompanhante – não é hora de levar uma amiga para ficar batendo papo, pelo menos por enquanto. Também é indicado comparecer ao salão de máscara e marcar com antecedência para manter horários espaçados. “Por aqui, os manobristas estão de luvas, quem entra no salão veste um propé, são ocupadas cadeira sim, cadeira não, para manter a distância obrigatória e estamos fazendo um rodízio de profissionais, trabalhando com equipe reduzida para evitar aglomeração”, conta ele.

Atendimento exclusivo

Outra alternativa é procurar um espaço com atendimento exclusivo, de um cliente por vez. O hair stylist Júnior Carvalho acabou de abrir seu JRcarvalho Office Hair, em São Paulo, e disponibiliza apenas dois horários por dia – um pela manhã e outro à noite. “Assim, nenhuma cliente encontra com a outra”, diz ele. “Além disso, todos profissionais de beleza temos um protocolo a seguir. Fizemos uma prova online do sindicato, tiramos certificado e mantemos padrão de medidas de segurança para atender a cliente: álcool gel para as clientes, material limpo e higienizado por álcool 70. Como aqui ofereço horários de atendimento exclusivo, uma cliente não encontra com a outra. Ainda assim, sua bolsa é colocada em saco plástico transparente logo na entrada, ela higieniza sapatos no tapete, usa propé, ambos usamos máscaras (e o cabeleireiro, face shield). Todo o lugar é higienizado entre as clientes, inclusive o chão!”

Coronavírus X Salão de beleza: Frequência necessária

Sim, estamos com saudades do salão de beleza. Mas não é aconselhável bater cartão toda semana, por enquanto. “A reabertura proporciona a possibilidade de estar sempre bem arrumada e manter a autoestima, mas sem exageros e com consciência”, fala Júnior. Marcos Proença concorda: “Independentemente do comprimento, acredito que vamos espaçar mais o retorno para o corte para evitar mais saídas de casa. Os serviços tendem a ser mais rápidos, aconselha-se evitar os semanais”. Júnior observa que os homens, que cortavam a cada 15, 20 dias, podem optar por um corte sem nuca raspada, por exemplo. “Assim, espaçam o procedimento para 40, 50 dias.” Confira aqui qual é realmente a frequência que a gente precisa cortar ou retocar a cor do cabelo.

CORTE

Nesse caso, o que determina de quando em quando você vai precisar bater ponto no salão é justamente o estilo do corte:

  • Curtos Para manter o corte curto no tamanho desejado, é recomendado cortar os cabelos em intervalos de 3 a 7 semanas. O mesmo vale para a franja.
  • Médios e longos O ideal é investir em tratamentos de hidratação e revitalização, para que as pontas não sejam danificadas e a ida ao salão ocorra a cada 60/90 dias. Se estiver deixando o cabelo crescer, o recomendado é cortá-lo pelo menos 4 vezes no ano, para evitar pontas duplas e dar uma renovada no visual.

COLORAÇÃO

  • Vermelhos Fios ruivos exigem retoques mais frequentes para continuarem quentes – e por isso talvez seja o momento para escolher outro tom. Mas se ser ruiva está na sua alma, prepare-se para ir ao salão a cada 30/40 dias, quando a coloração começa a perder o brilho. “Para mantê-los vibrantes e no tom desejado por mais tempo, é preciso cuidados extras, como o uso de shampoo e condicionar específicos”, sugere Marco.
  • Loiros O retoque dos fios loiros depende do crescimento capilar, mas o ideal é realizar a manutenção da raiz a cada 15 a 45 dias, se houverem fios brancos.
  • Castanhos Eles exigem retoque quando a raiz começa a crescer com uma tonalidade diferente dos fios. Essa manutenção deve ser feita em um período de 15 a 45 dias, geralmente.
  • Luzes Nesse caso, o ideal é visitar o salão em intervalos de 4 a 5 meses e seguir uma rotina de hair care para manter o brilho e tom por mais tempo. “Luzes com raiz esfumada pedem retoque a cada 6 meses”, observa Júnior.

Lembrando que nenhum desses procedimentos é essencial! No momento atual, o mais importante é preservar sua saúde e dos outros — e quem sabe até aproveitar o momento pra curtir sua beleza natural.

Continua após a publicidade
Publicidade