Raio-x da pele: o papel do estilo de vida no skincare

O conceito de beleza integrada mostra que, além do skincare, considerar o estilo de vida é essencial para uma pele bonita, saudável e bem cuidada.

Por Marcela De Mingo Atualizado em 25 nov 2021, 18h34 - Publicado em 3 dez 2021, 08h00

Com o boom do skincare, fica fácil acreditar que os cuidados com a pele dependem apenas de uma rotina de manhã e à noite, com os cremes certos, os séruns ideais, talvez uma máscara facial de argila aos finais de semana. No entanto, o conceito de beleza integrativa, desenvolvido pela dermatologista Dra. Juliana Neiva, mostra que não é bem assim. 

De acordo com a médica, lidamos com dois tipos de envelhecimento. O primeiro é interno, tem relação com a nossa genética e questões biológicas. O segundo é externo, ou seja, está diretamente conectado com o nosso estilo de vida. É por isso que Juliana pensa na dermatologia de forma integrada: “Com as escolhas que temos com o estilo de vida, podemos ajudar ou atrapalhar esse envelhecimento biológico”, explica ela. “É claro que não temos controle sobre tudo, mas fazemos esse convite para além do skincare de olhar para o estilo de vida”. 

Por isso, Juliana analisa a pele com em um “raio-X”. Ou seja, ela observa diferentes aspectos para entender a saúde e as necessidades daquela pele. 

Sono

O sono, claro, não poderia deixar de aparecer aqui. Para Juliana, ele é essencial quando se fala em pele saudável. “O sono tem um papel restaurador”, diz. Durante a noite, o corpo secreta hormônios que ajudam na recuperação de tecidos internos e externos, o que interfere diretamente no bem-estar da pele. “O sono tem esse papel de organizar a parte do ciclo circadiano e da secreção de hormônios que têm efeito antioxidante e anti-inflamatório”, continua. 

raio-x da pele
Alimentação, hábitos de sono e de exercícios físicos também influenciam na saúde da pele Marko Geber/Getty Images

Exercícios Físicos

A prática de atividades físicas também tem peso quando se fala no assunto. O sobrepeso, via de regra, está associado a doenças crônicas, como as cardiovasculares – e toda doença dessa natureza tem também uma influência na inflamação da pele. “A atividade física é um dos fatores de combate à ansiedade e ao estresse físico, e também melhoramos a pele por essa via”, diz. “Por outro lado, a gente sabe que com a saúde muscular em dia, você tem melhor ancoragem contra a flacidez”. 

Continua após a publicidade

A flacidez do corpo e a celulite, por exemplo, estão conectadas ou a flutuação do peso ou a não prática de exercícios físicos, por isso, a médica explica que é fundamental termos esse equilíbrio físico para garantir uma beleza integrada. Isso passa também pelos cuidados necessários, principalmente, para quem pratica atividades ao ar livre, se mantendo mais tempo exposto ao sol e à poluição. 

Alimentação

A alimentação é essencial quando se fala em cuidados com a pele. “O alimento pode ser um protetor ou um agressor”, explica Juliana. Para ela, o que se considera mais importante em termos de dermatologia relacionada à alimentação é um processo chamado de glicação: os produtos derivados da glicose se unem com a principal proteína na pele, o colágeno, fazendo com que ele endureça e se quebre. 

Esse processo se torna muito comum e mais rápido em alimentações ricas em açúcares refinados, alimentos embutidos ou enlatados – o resultado é que a pele envelhece mais rápido e o cabelo cai mais. Já o consumo de leite e derivados, assim como de alimentos processados e ultraprocessados, está conectado com o segundo processo mais importante nesse esquema, a inflamação. É por isso que, muitas vezes, eles pioram ou estimulam o surgimento da acne. 

O ideal, segundo a dermatologista, é manter uma alimentação bastante equilibrada e rica em alimentos antioxidantes e anti-inflamatórios, além de evitar ao máximo os processados e os ultraprocessados. Álcool e cigarros também entram na lista dos alimentos proibidos quando se fala em pele saudável, afinal, bebidas alcoólicas colaboram para a desidratação e inflamação da pele – o que pode causar doenças inflamatórias ou desencadear uma rosácea, por exemplo. Já o cigarro, piora a microvascularização e deixa as glândulas sebáceas mais poluídas, além de promover rugas e o envelhecimento precoce do cabelo. 

Raio-x da pele feito, e agora?

Depois de considerados todos esses pontos, Juliana olha para cada paciente de forma personalizada, considerando sua idade, fase de vida e até hábitos diários. Para ela, o mais importante é encontrar uma rotina que colabore para o estilo de vida do paciente – isso significa evitar uma rotina coreana de 10 passos para quem prefere um único produto e vice-versa. “A primeira coisa é uma adequação e a segunda é uma proposta por fases. Não adianta ter o mesmo skincare o ano todo.”

Variar os cuidados, aliás, é muito importante quando se fala principalmente em clima. No Brasil, não existem estações do ano tão bem definidas, mas é importante entender que no verão temos aumento dos raios ultravioletas e da exposição ao sol, enquanto no inverno o clima fica bem mais seco e os banhos quentes são mais frequentes e longos. Adequar os cuidados a esses contextos é igualmente importante e garante uma pele mais bem cuidada e saudável por mais tempo.   

Continua após a publicidade

Publicidade