Conhece alimentação flexitariana? Uma opção para quem quer cortar a carne

Saiba o que é e confira receitas deliciosas para incluir no seu cardápio

Por Amanda Panteri Atualizado em 20 set 2019, 16h59 - Publicado em 20 set 2019, 14h17

A cada dia, mais e mais estudos comprovam os benefícios do vegetarianismo para o corpo. Um deles, inclusive, foi publicado recentemente pelo American Journal of Clinical Nutrition e evidencia o hábito como capaz de prevenir o organismo contra doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes. Sem contar a questão animal e ambiental, não é mesmo? 

Contudo, pode ser muito complicado para algumas pessoas deixar de lado um alimento que faz parte do nosso dia-a-dia tão intensamente. Mas isso não é motivo para desespero: com pequenas adaptações, feitas aos poucos no cardápio, dá para se tornar vegetariana sim! Uma saída, para começar, pode ser adotar a dieta flexitariana. “Uma alimentação flexitariana ou semi-vegetariana é aquela que segue o vegetarianismo na maior parte do tempo. E que, ocasionalmente, tem algum tipo de carne”, explica a nutricionista Luna Azevedo, idealizadora do projeto VIDA e que atende no Rio, em São Paulo, Belo Horizonte e Brasília. Simplificando: você não precisa ser tão radical e passar longe das proteínas de origem animal de uma hora para outra. 

  • As vantagens de reduzir o consumo de carne aos poucos são muitas. A primeira delas, claro, é o fato de que manter o objetivo fica muito mais fácil quando você sabe que a sua alimentação é menos rígida. Dessa forma, você vai se acostumando com o menor volume do alimento em suas refeições até tirá-lo completamente do cardápio. “E foram encontradas fortes evidências de benefícios para o peso corporal, metabolismo, pressão arterial e redução da diabetes”, afirma Luna Azevedo. 

    Seu intestino também agradece. “Quando a pessoa adota o estilo de vida e tem um bom acompanhamento nutricional, acaba consumindo mais alimentos de origem vegetal. Como frutas, oleaginosas e legumes”. E com mais fibras no corpo, o funcionamento do sistema digestivo pode melhorar muito. 

  • Posso ficar deficiente de algum nutriente? 

    A grande preocupação da maioria dos vegetarianos está relacionada à quantidade de nutrientes ingeridos. Principalmente no que diz respeito à proteína e algumas vitaminas e minerais. Porém, a nutricionista garante que é possível manter uma alimentação equilibrada e que garanta uma grande variedade de aminoácidos essenciais. “Com leguminosas, cereais, sementes e vegetais, o alcance da quantidade protéica necessária é garantido.”

    Além disso, estudos mostram que suplementação com proteínas de origem vegetal também são capazes de promover os mesmos resultados que as de origem animal. 

  • Mas afinal, como fazer isso? 

    Você pode eliminar a carne nos dias em que consegue ser mais regrada com a alimentação. O que, em muitos casos, acontece durante a semana. Nos finais de semana, em festas e eventos sociais, dá para ser mais flexível consigo mesma, sem carregar a culpa do que pode ou não pode comer.

    Lembre-se sempre: um pequeno passo é melhor do que nenhum! Se você ainda acha complicado passar cinco dias sem a proteína, sempre tem a #segundasemcarne para começar! O segundo passo está em informar-se muito sobre o assunto. E encontrar receitas saborosas, assim a vontade de carne passa rapidinho.

    Luna Azevedo dá quatro sugestões veganas: 

    Muffin de banana com canela 

    Muffin de banana
    Life morning/Shutterstock

    Muffin de espinafre 

    Thiago Mazi / Divulgação Mundo Verde/Divulgação

    Grãomelete 

    Omelete de claras
    Tatiana Volgutova/Thinkstock/Getty Images

    Iogurte de morango

    Panacota low carb de iogurte com calda de morango
    Alexandra Vaz/BOA FORMA
    Continua após a publicidade
    Publicidade