Fui sereia por um dia e amei! Você também pode ser, sabia?

Nossa editora de fitness, Daniela Bernardi, fez uma aula de sereísmo e conta como foi a experiência e os motivos para você entrar nesse movimento

Por Daniela Bernardi Atualizado em 17 fev 2020, 15h11 - Publicado em 2 ago 2017, 16h23

Quem nunca sonhou em ser sereia quando criança? Eu, pelo menos, sempre brincava de Ariel com minha irmã na piscina do prédio – por horaaas. Duas décadas depois, tive a oportunidade de realmente vestir uma cauda, colocar um par de brincos de estrela-do-mar e sair nadando por aí. A aula de sereísmo – que fiz com a coach de sereias Thaís Picchi, da Aqua Magia –, além de ser hiperdivertida, também pode ser um jeito diferente de acionar os músculos das pernas e do abdômen e até de melhorar o fôlego.

Veja tambémCorpo de sereia: Isis Valverde se prepara para nova personagem

Claro que, por ser uma atividade lúdica, você não vai ficar com coxas torneadas e com o condicionamento do Michael Phelps. Mas dá para tirar algum benefício fitness da brincadeira. O personal trainer e colunista da BOA FORMA Rafael Lund me explicou que, ao estender os joelhos e o quadril, a gente usa a musculatura do quadríceps para fazer força. Já o core é recrutado para estabilizar o tronco durante as ondulações. Confira, no vídeo abaixo, como foi divertida minha experiência.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=c-o276oVIRI?ecver=2%5D

 

Como nossas pernas ficam presas dentro da cauda (e os pés são encaixados em um mofim, uma espécie de pé de pato duplo), o nado se torna mais difícil – e é quase impossível apoiar no chão. Por isso, a Thaís frisou que, no começo, é fundamental que tenha alguém sem o acessório por perto para garantir a segurança.

O primeiro passo da aula: aprender a ondular como sereia, fazendo movimentos curtinhos e mais amplos, que podem ser vistos de fora da água. Também dá para nadar em forma de parafuso (piruetas), de lado e de barriga para cima. Na piscina, você precisa ter uma consciência corporal completamente diferente, já que nossa densidade muda e perdemos um pouco a referência de profundidade e direções.

Vale lerCabelo à prova de piscina

Para mim, o grande desafio foi manter os olhos abertos e, ao mesmo tempo, mandar beijinho para a câmera (as bolhas ficam lindas na foto!). Mas tudo é questão de treino. A Thaís me deu uma superdica: ao subir à superfície, inclinar bastante a cabeça para trás para que a água escorra dos olhos (mesmo assim, eles arderam pelo resto do dia [risos]). Já o fôlego de sereia – a Thaís consegue permanecer quatro minutos sem respirar! – exige um treinamento específico de apneia e preferimos deixar para uma próxima vez.

O que é o sereísmo?

View this post on Instagram

Bom dia!!! 🐬☀😊 #faltapouco #nature #backstage #aforçadoquerer #estréiasegunda @gshow

A post shared by isis valverde (@isisvalverde) on

Continua após a publicidade

Esse movimento, que invadiu o feed do Instagram e até a atual novela das 21h da Globo, A Força do Querer, com a personagem Ritinha, da atriz Isis Valverde, vai muito além das fotos bonitas à beira da piscina. O sereísmo tem a ver com respeitar a natureza (sim, para ser sereia de verdade, você precisa defender o meio ambiente) e se amar. Vantagem: existem caudas para todos os tipos de corpo que valorizam nossas curvas, sejam elas quais forem. “Você pode assumir a personalidade que quiser: uma sereia sensual, misteriosa, meiga e até maléfica”, conta Thaís. Eu me inspirei na Ariel e saí com um sentimento nostálgico da aula – agora, só falta encontrar meu príncipe encantado por aí…

View this post on Instagram

Uma sereia passando na sua timeline 🐠🐠 #sereísmo #aquamagia #atitudeboaforma

A post shared by Daniela Bernardi (@danibernardi_) on

Onde encontrar as caudas:

www.meninasereia.com

www.sirenita.com.br

www.mirellaferraz.com

Fique por dentro de tudo o que rola no mundo fitness com a newsletter da BOA FORMA

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade