6 dúvidas sobre pasta de amendoim

Rica em gorduras boas, ela também contém fibras, proteínas e outros nutrientes. Tem como não amar?

Por Amanda Panteri Atualizado em 20 fev 2019, 10h07 - Publicado em 15 fev 2019, 14h58

pasta de amendoim é queridinha de culinaristas e influenciadoras fitness e protagonista de muitos lanches pré-treino. Mas apesar de muita gente já ter aderido ao alimento, ainda ficam algumas dúvidas a respeito de seus reais benefícios. Afinal, ela é muito calórica? Não é gordurosa demais? Com a ajuda da Caroline Guerreiro, nutricionista e consultora da Vittadely, de São Paulo, fomos entender qual é a da pasta de amendoim.

  • 1. Qual versão escolher?

    A nutricionista afirma que quanto mais natural, melhor. “A versão mais saudável só deve conter o amendoim torrado”, explica. A receita, então, não poderia ser mais fácil: basta processar duas xícaras cheias do ingrediente por quinze minutos, e voilá — uma pasta cremosa e homogênea se forma.

    Mesmo com toda a praticidade e rapidez do preparo, ainda tem gente que prefere não perder tempo e comprar as opções prontas existentes no supermercado. Nesse caso, é preciso prestar atenção no rótulo das embalagens, pois elas podem esconder outros ingredientes nada amigos do organismo. “Algumas contém açúcar, sal, xaropes, edulcorantes, conservantes e aromatizantes”, afirma.

    Vale lembrar também que cada colher de sopa da pasta de amendoim natural contém cerca de 115 calorias. Por isso, se você busca uma dieta equilibrada, não é muito recomendado acabar com um pote inteiro de uma vez só. 

    2. É muito gordurosa?

    Sim, a pasta de amendoim possui um alto teor de gorduras, mas as do tipo mono e poli-insaturadas. São as chamadas gorduras “boas”, presentes também no abacate e em peixes como o salmão, e que atuam na proteção do coração, na regulação do colesterol ruim e do triglicérides.

    Continua após a publicidade

    3. Possui fibras?

    As fibras também estão presentes no alimento — a cada duas colheres de sopa, estima-se que haja cerca de 3 gramas delas, ou aproximadamente 10% da quantidade diária recomendada. E todo mundo já deve estar cansada de saber dos benefícios que podem trazer: ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue, melhoram a função intestinal…

  • 4. Preciso comer somente no pré-treino?

    Ao contrário do que muita gente pensa, a pasta de amendoim traz vantagens ao ser consumida tanto no pré quanto no pós-treino. Por conter proteínas e ser uma boa fonte de energia, vai muito bem antes da musculação ou de atividades de fortalecimento muscular.

    Mas tem outra substância que faz a pasta também ser vantajosa depois da sessão de suor, o polifenol resveratrol. Ele estimula a produção de óxido nítrico nos músculos e ajuda a recuperar a musculatura depois do esforço.

    5. Como consumir?

    As combinações possíveis são infinitas. “Pensando em um lanche da tarde, é interessante combinar com pão integral, que garante energia, e fruta, que traz mais fibras ainda”, indica a nutricionista. Se for pensando na ceia da noite, esqueça do pão. Assim, você economiza umas boas calorias e facilita a digestão antes de dormir.

    6. E o que mais?

    Não acaba por aí. “O amendoim também contém os chamados micronutrientes magnésio, cálcio, selênio, vitaminas do complexo B e vitamina E”, completa Caroline. Já podemos viver só disso, produção?

  • Continua após a publicidade
    Publicidade