Estresse pode causar doenças físicas. Aprenda a identificar

Gastrite nervosa ou apenas azia? Saber diferenciar pode ser mais difícil do que parece

Por Amanda Panteri 13 fev 2019, 16h48

Todo mundo tem seus dias estressantes. E, diferentemente do que costumamos achar, o organismo não separa o corpo da mente. Sentir-se afetada por problemas externos e internos acontece até com as pessoas mais good vibes, viu? Seja uma dor de dente, que atrapalha o desempenho no trabalho e causa irritação, ou um desentendimento com uma amiga, que gera dor de cabeça — todas são situações no mínimo incômodas de lidar.

Não é de se espantar, então, que existam diversas doenças e condições que são influenciadas pelo estresse.“Ele não é uma reação única, mas sim uma resposta física, psicológica e social do ser humano a uma determinada situação. É por isso que um abalo emocional pode gerar uma gastrite ou até o isolamento social”, explica Denise Diniz, psicóloga comportamental e coordenadora do Setor de Gerenciamento de Estresse e Qualidade de Vida da Unifesp.

  • Infelizmente, todos passamos por situações das quais não podemos fugir. O problema começa quando o que causou o estresse passa, mas a sensação de mal estar continua rondando. “Vamos imaginar, por exemplo, alguém que irá fazer uma entrevista de emprego. É comum que ela sinta um certo nervosismo, sudorese e aceleração dos batimentos cardíacos, mas de modo passageiro. Se o sentimento persistir e até evoluir para crises de ansiedade, é preciso procurar um especialista”, alerta a psicóloga.

    Preste atenção nos sinais

    Bem que a gente gostaria, mas não existe uma lista exata de sintomas físicos que podem indicar estresse ou outros tipos de problemas emocionais. Isso porque cada organismo reage de um jeito a certos traumas: tem gente que sente tensão e dores musculares, enxaquecas, problemas gastrointestinais, e por aí vai.

    O que você pode fazer, nesse caso, é observar com que frequência e intensidade eles aparecem. “Se são acompanhados de uma tristeza profunda, crises de choro constantes ou desânimo, pode ser um alerta de que algo emocional está acontecendo”, explica Denise.

  • Ajuda profissional é imprescindível

    Vale procurar tratamentos tanto para o corpo como para a mente. “Assim como o jeito que cuidamos do corpo afeta a mente, a atenção que damos à saúde emocional afeta o organismo”. A especialista ainda levanta três pilares imprescindíveis para uma superação tranquila do estresse:

    Continua após a publicidade

    Pratique atividades físicas

    “Todos sabemos que uma simples caminhada faz o cérebro liberar a endorfina, hormônio relacionado ao bem-estar”.

    Mantenha a boa alimentação

    “Uma dieta balanceada, rica em verduras e legumes, ajuda a regular os hormônios do corpo e a garantir um estilo de vida com mais disposição”.

    Veja a vida de maneira mais positiva

    “Por meio da terapia, você consegue alcançar um autoconhecimento maior e repensar no modo com que encara os próprios problemas”.

    Continua após a publicidade
    Publicidade