7 alimentos para a saúde dos seios

Desde dores no seio até câncer de mama, esses alimentos podem ser poderosos aliados

Por Amanda Ventorin Atualizado em 12 nov 2021, 16h56 - Publicado em 17 nov 2021, 14h00

A nossa alimentação diária possui um papel fundamental na nossa saúde e qualidade de vida e é um dos pilares que favorecem todo o corpo, incluindo os seios. Desde dores (mastalgia) que são comuns no período pré menstrual até câncer de mama, a alimentação pode ajudar – e até mesmo prevenir- seu aparecimento.

É claro que o câncer é uma doença multifatorial, ou seja, são vários fatores que podem influenciar ou não para o seu desenvolvimento. A influencia genética existe, mas isso pode ser atenuado com a adoção de hábitos de vida saudáveis. “De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 80% dos casos de câncer estão associados à razões externas. Ou seja, mudanças geradas no ambiente como: nível de estresse, qualidade do sono, prática de atividade física, funcionamento do intestino, alimentação, tabagismo, peso corporal, são fatores externos que podem silenciar ou aumentar os riscos de desenvolver doenças, incluindo o câncer de mama” explica Camilla Koyama, nutricionista da Pineapple medicina Integrativa

Por isso deve-se manter uma alimentação saudável, dando preferência para aqueles in natura e minimamente processados. Segundo a pesquisa “Número de casos e gastos com câncer de mama no Brasil atribuíveis à alimentação inadequada, excesso de peso e inatividade física”, realizada pela Coordenação de Prevenção e Vigilância (Conprev), do Instituto Nacional do Câncer (INCA), hábitos saudáveis ajudaram a reduzir a incidência de câncer de mama em cerca de 13% dos casos no Brasil em 2020.

“Desta forma, a nutrição deve ser um dos pontos principais para redução do risco de desenvolver câncer de mama, sempre levando em consideração os aspectos individuais e as necessidades de cada paciente, em cada fase da vida” finaliza a nutricionista.

7 alimentos aliados a saúde dos seios

1- Frutas vermelhas

Frutas vermelhas como amora, morango, framboesa, cereja, cranberry, mirtilo, são ricas em antocianinas, da classe dos flavonóides. “Com propriedades antioxidantes, capazes de combater o estresse oxidativo causado pelos radicais livres – moléculas que atacam o DNA das células – evitando o crescimento de células pré-malignas. Além disso, ajudam a melhorar a resposta do sistema imunológico e a proteger as células, reduzindo o risco de desenvolver o câncer de mama” explica Camilla.

2- Romã

A romã, em especial, além de ser rica em antioxidantes e flavonóides, também possui em suas sementes o ácido elágico, substância que inibe a enzima aromatase, responsável pela produção de estrogênio e que pode favorecer o surgimento de células cancerígenas.

3- Tomate

A fruta possui um nutriente interessante a se ter na alimentação chamado licopeno, pois é uma substância com propriedades anticancerígenas, que protege também as células do nosso organismo contra os radicais livres. Ele também pode ser encontrado na melancia, morango, mamão.

4- Cúrcuma

“Especiarias como cúrcuma, pimenta do reino, curry, podem auxiliar na diminuição do aparecimento de células cancerígenas, pela presença de polifenois, antioxidantes que possuem ação anti-inflamatória” conta a profissional.

5- Alho

Além disso, o alho, cebola, orégano contêm propriedades antibacterianas, antifúngicas e anticancerígenas.

Continua após a publicidade

6- Brássicas

As brássicas, como brócolis, couve, couve flor, possuem glicosinolatos, cujo os produtos de sua hidrólise podem atuar na prevenção do câncer através de indução de vias de eliminação de metabólicos carcinogênicos antes que eles possam danificar o DNA, ou ainda por meio de alteração de vias de sinalização, prevenindo a transformação de células saudáveis em carcinogênicas. Além disso, são fontes de vitamina C, um potente antioxidante.

7- Uva 

O resveratrol presente na casca da uva escura, pode auxiliar na inibição da proliferação de células cancerígenas da mama, além de modular enzimas antioxidantes e antiinflamatórias.

8- Ômega 3

Com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, a ômega 3 combate os efeitos danosos dos radicais livres, prevenindo vários tipos de câncer, inclusive o câncer de mama. “Invista na semente de linhaça, que além de ômega 3, também possui em sua composição as lignanas, agindo como um neutralizador do efeito do estrogênio na mama, podendo evitar a proliferação de tumores”.

Como implementar os alimentos no dia-a-dia?

Se sentindo perdida sobre como incluir esses alimentos na sua rotina? Saiba que é possível incluir pelo menos uma opção dos alimentos citados em cada refeição do dia e de maneiras inusitadas. “Logo pela manhã, podemos aderir ao shot matinal com cúrcuma, gengibre e limão, por exemplo. Forma rápida e prática de obter compostos bioativos eficientes modulando fatores pró inflamatórios, estresse oxidativo e otimizando o sistema imunológico”conta a nutricionista.

No café da manhã e lanches intermediários, aposte nas frutas vermelhas e alaranjadas, juntamente com as sementes e oleaginosas como amêndoas, nozes, castanhas, semente de chia, girassol, entre outras, ricas em gorduras boas, vitamina E e demais minerais. Ou ainda, um suco verde composto por uma porção de frutas vermelhas ou mamão, um punhado de sementes ou oleaginosas e uma porção de folhas de couve ou folhas do brócolis.

“Nas refeições principais, procure sempre ter uma variedade de verduras e legumes, dando prioridade para as brássicas e vegetais verdes escuros. Tenha uma alimentação colorida e parta do princípio “Desembale menos e descasque mais”. Acredito que esse seja o melhor caminho sempre!”.

O que evitar

Muitos alimentos possuem fatores que podem lesar as células e alterar o material genético, que como consequência se têm uma multiplicação celular desordenada e com isso pode levar ao aparecimento de um tumor. Dentre esses alimentos, segundo a especialista, pode-se destacar os produtos industrializados como salgadinhos, biscoitos, temperos prontos; carnes processadas e embutidos como linguiça, salsicha, salame, mortadela e inclusive o peito de peru, possuem na sua composição nitratos/nitrosaminas, capazes de promover essa mutação nas células; alimentos preparados com frequência no carvão (churrasco), devido a fumaça liberada do carvão que contêm hidrocarbonetos aromáticos e também podem favorecer esses fatores mutagênicos; alimentos ricos em agrotóxicos; alimentos aquecidos em recipientes de plástico; farinha branca e alimentos ricos em açúcar, frituras e alimentos gordurosos como fast foods, também devem ser evitados, visto que podem causar acumulo de gordura e elevação dos níveis serviços de estradiol, hormônio que tem relação com o câncer de mama.

“São hábitos alimentares que não irão agregar na nossa saúde e que podem desencadear processos inflamatórios no organismo, promovendo o aumento do peso e também elevando o risco de desenvolver diversas doenças, incluindo o câncer de mama” finaliza.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade