Boa Forma Visita: Origem 75

Restaurante em Vinhedo tem ambiente arejado e boa seleção de ingredientes frescos

Por Helena Galante Atualizado em 21 jun 2021, 15h43 - Publicado em 21 jun 2021, 08h00

Olá, querida leitora e querido leitor da Boa Forma! Você que nos acompanha de pertinho percebeu que recentemente entramos em uma nova fase, diferente dos diversos momentos que compartilhamos nos últimos 35 anos (sim, essa é a idade da Boa Forma e nos falamos dela com muito orgulho!), não é? Na proposta atual de desvendarmos o bem-estar em quatro pilares – movimento, equilíbrio, beleza e alimentação – sentimos que era a hora de visitar, testar e aprovar (ou não) o que há de novo por aí.

Diante da trágica situação da pandemia, o contexto não poderia ser mais delicado – mas o avanço da vacinação reacende a esperança de poder voltar a sair de casa sem tensão nem riscos de contaminação. Com cautela (e máscara, sempre), nossa equipe passa a contar aqui neste espaço #BoaFormaVisita as nossas impressões de visitas a restaurantes, spas, parques e outros cantinhos instigantes do nosso país.

Neste texto de estreia, gostaria de me apresentar: eu sou a Helena Galante, muito prazer! Hoje sou editora-chefe aqui da Boa Forma e colunista da seção A Tal Felicidade, da Veja São Paulo. Também criei e comando há dois anos o podcast Jornada da Calma, justamente sobre bem-estar. Por dez anos, porém, minha carreira teve um outro foco: a gastronomia. Fui repórter e editora do guia anual Veja Comer & Beber e visitar cafés, lanchonetes e restaurantes era parte do meu dia a dia.

Prometo contar numa próxima oportunidade como era comer tanto (era muito mesmo!) sem perder o foco e a isenção na avaliação dos pratos – e nem exagerar na dose a ponto de comprometer minha saúde. Por ora, quero falar da minha primeira visita aqui na Boa Forma. Num sábado frio, fui ao restaurante Origem 75.

View this post on Instagram

A post shared by @origem75

Uma das bandeiras do espaço, localizado na entrada de Vinhedo, no interior de São Paulo, é o uso de alimentos orgânicos de cultivo próprio e de pequenos produtores da região. Se você, como eu, adora uma horta, convém avisar: a produção não está localizada junto ao restaurante. Mas é possível encomendar e levar para casa uma cesta sortida de folhas fresquinhas e outros produtos.

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

A post shared by Sítio KM 75, Vinhedo, SP (@sitiokm75)

O espaço com muitas mesas ao ar livre é uma ótima opção para quem sabiamente tem evitado os ambientes fechados. No dia da visita, porém, a disponibilidade no momento da chegada era para uma mesa interna (localizada ao lado de um janelão mantido aberto e afastado de outras mesas). A equipe, devidamente equipada com máscara, sugeriu de entrada uma porçãozinha de pasteis mistos (R$ 36,00). Aqui na Boa Forma já falamos sobre o fim das dietas, a valorização da comida de verdade e a busca por equilíbrio. Ou seja, tudo bem uma fritura de vez em quando. Como o sabor dos recheios de carne e queijo não eram marcantes, vale pedir uma boa dose da pimenta da casa (mais gostosa que a versão industrializada trazida à mesa).

Achei mais interessante a salada da casa (R$ 32,00). Esqueça a alface sem graça: o mix de folhas inclui kale roxa, kale verde, espinafre, rúcula, abóbora cabotiá, beterraba orgânica acompanhado de queijo de cabra e mix de castanhas. Tinham flores comestíveis também, bem saborosas!

Na maior parte das mesas, a escolha era uma costela bovina na lenha assada por 12 horas (R$ 256,00). Meu apetite não era para tanto e fiquei no galeto na lenha marinado na laranja (R$ 52,00). Ainda que a carne branquinha estivesse macia, alguns pedaços estavam mais ressecados. Encantou mais o acompanhamento: um purê de batata (R$ 20,00). Achou simples demais? Pois eu te conto que ele levava bastante alho e cebola orgânica na brasa, o que garantiu um toque rústico muito saboroso.

Para finalizar sem medo do açúcar, se estiver em duas pessoas, não deixe a torta rústica de maçã assada também na lenha (R$ 29,00). Feita com a fruta inteira, com casca e tudo, e uma massinha doce crocante e fumegante, a guloseima ficou ainda melhor com um sorvete de baunilha artesanal, feito com menos conservantes que a versão industrializada. Um grande final para quem estava há muito tempo evitando as saídas de casa mas topou a missão profissional de bom grado.

Tem algum lugar novo que você quer que a Boa Forma visite antes de você para te contar como é? Escreva nos comentários das nossas redes! Até o o próximo Boa Forma Visita.

Continua após a publicidade
Publicidade