BOA FORMA: onde você encontra respostas confiáveis sobre as suas dúvidas de bem-estar

BOA FORMA responde

Vamos atrás dos melhores especialistas para tirar suas dúvidas
Continua após publicidade

Como identificar um nutracêutico autêntico e confiável?

Por Patrícia França
Atualizado em 31 ago 2023, 18h24 - Publicado em 26 set 2023, 09h06

O termo nutracêutico se refere a um alimento ou parte de um alimento que confere benefícios médicos e de saúde, incluindo a prevenção e o tratamento de doenças, administrado sob diferentes formas farmacêuticas e com dosagens específicas.

No Brasil, embora não atenda a uma terminologia aceita pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), órgão regulador de Medicamentos e Suplementos alimentares, o termo é aceito por contemplar suplementos alimentares e estar relacionado ao benefício da saúde.

Dentro desse contexto, para ter mais confiabilidade na escolha de um nutracêutico, temos 4 pontos que podem ser levados em consideração: preço (desconfiar de produtos com o custo muito abaixo do usual), deve ser reconhecido pela Anvisa e outras entidades regulamentadoras, ser de origem natural e promover vantagens ao organismo.

Segundo normas da Anvisa, não são todos os nutracêuticos que precisam de registro, contudo, mesmo que este seja isento deste código, em ambos os casos, o produto deve conter uma sinalização clara em seu rótulo, com as seguintes informações:

  • Dados do fabricante;
  • A quantidade recomendada para uso do produto e a frequência diária de consumo para cada grupo de pessoas e faixa etária;
  • Advertências gerais e específicas, que variam de acordo com a composição ou forma de administração do produto;
  • Restrição de uso, quando o produto não puder ser consumido por determinado grupo, como gestantes ou idosos;
  • Tabela nutricional, com descrição das quantidades de nutrientes, substâncias bioativas, enzimas, probióticos;
  • Lista de ingredientes, com todos os constituintes usados na formulação e presença de alergênicos.

A autenticidade e confiança de um nutracêutico deve estar relacionada a sua origem e procedência, ou seja, a sua aquisição e comercialização devem estar pautadas nas normas da ANVISA e trazer as informações claras sobre a sua composição, dosagem mínima e máxima, validade e as contraindicações.

Continua após a publicidade

Também vale analisar se são indicados por um profissional da área da saúde habilitado. Um outro ponto a ser considerado é que, ao se utilizar um nutracêutico, o mesmo deve ter os mesmos cuidados e critérios adotados para qualquer prescrição, partindo da avaliação clínica e diagnóstico das necessidades individualizadas para cada pessoa. Deve-se conhecer o mecanismo de ação, sua biodisponibilidade dentro do organismo que receberá esse suplemento e não conter nenhum tipo de substância que traga danos à saúde.

Respondido por:

Patrícia França, farmacêutica e gerente científica da Biotec Dermocosméticos.

Publicidade