Evento explora a relação da rotina de trabalho com a saúde

Em nova edição, o Rock In Rio Humanorama discute como as rotinas de trabalho e os hábitos podem colaborar para um ambiente profissional mais saudável

Por Marcela De Mingo Atualizado em 22 jul 2022, 13h50 - Publicado em 24 jul 2022, 13h49

Para você, saúde diz respeito a quê? É só ao corpo físico? Ou também a sua parte emocional e mental? E o dinheiro ou o seu trabalho? Também entram nessa conversa? Pois é, esses são alguns dos tópicos que permeiam a nova edição do Rock In Rio Humanorama, que acontece entre os dias 28 e 31 de julho deste ano. 

Desta vez em uma edição híbrida, o evento intercala painéis presenciais, atividades e mentorias no Learning Village, na Vila Madalena, em São Paulo, com rodas de conversa virtuais. A linha mestra de toda programação, no entanto, é uma discussão que leva a ideia de saúde para muito além do corpo físico. 

Um destaque é a palestra “Novos hábitos e rotinas para pessoas estressadas no trabalho”, que aborda a importância da saúde mental e psicológica no âmbito profissional. Nela, Daniel Aisenberg, Joana Garoupa, Jean Rosier e Larissa Rodrigues vão discutir sobre situações de trabalho que geram altos níveis de estresse e consomem o nosso tempo no ambiente corporativo. Muitas vezes, essas situações parecem inevitáveis, mas é possível contorná-las ou, no mínimo, minimizá-las. 

Aqui, os hábitos e a rotina entram como ferramentas poderosas para melhorar a vida profissional, assim como os tão falados rituais, que funcionam como uma ponte para uma vivência mais equilibrada e empática no âmbito corporativo. Para isso, os palestrantes darão dicas de como explorar esses elementos no dia a dia profissional de forma criativa e, principalmente, descomplicada. 

SAÚDE EM TODOS OS ÂMBITOS

O evento, que pretende abordar temas urgentes na sociedade, terá como um dos principais destaques a roda de conversa “Cuidar além do Curar”, que convida os participantes e ouvintes a compreenderem de que forma a dignidade humana é comprometida pela relação com o dinheiro. 

“Direitos Humanos e Medicina trabalhavam separados. Só que é necessário entender que se a moradia for insalubre, se não tiver recursos para comprar, se houver violência doméstica, esse corpo estará doente. A parte psicossocial não pode ser ignorada e às vezes é a maior causa da doença. A saúde não é só no hospital. É na casa, na rua”, explica Vera Cordeiro, médica e criadora do Saúde Criança, e uma das palestrantes da mesa ao lado de Aisha Paz, com mediação de Mic Aisenberg, curadora de conteúdo do evento. 

Quem quiser acompanhar as conversas online de forma gratuita, pode fazer a inscrição no site rockinriohumanorama.com. No total, os quatro dias de evento contarão com 110 atividades, sendo 16 horas de conversas gravadas e ao vivo – os ingressos para a participação presencial também já estão à venda por meio do site. 

Continua após a publicidade

Publicidade