Nos preocupamos mais com saúde mental do que com perda de peso, diz estudo

Pesquisa do WW Brasil mostrou que, enquanto 43% pensam em perder peso, outros 71% consideram o cuidado mental tão importante quanto o corpo.

Por Marcela De Mingo Atualizado em 30 set 2021, 16h05 - Publicado em 10 out 2021, 08h00

Em 2020, a pandemia de coronavírus trouxe uma série de questionamentos importantes. Um deles se mantém até hoje: saúde mental. Nunca se discutiu tanto sobre o estado da mente, seja em um recorte profissional, seja sobre as relações das pessoas e até aos papéis sociais que exercemos.

Isso tem se refletido na priorização que as pessoas dão aos cuidados com a saúde mental. Segundo uma nova pesquisa desenvolvida pelo WW Brasil, os brasileiros estão mais preocupados do que nunca com a saúde – e não só em relação ao próprio peso. 

Os dados do estudo, realizado entre maio e junho deste ano com pessoas de 18 a 70 anos, mostram que 43% dos participantes entre 18 e 49 anos querem perder entre 5 e 10 quilos. Da mesma forma, 71% acreditam que o cuidado mental é tão necessário quanto o cuidado com o corpo. 

A conclusão do estudo vai além: 29% dos entrevistados declaram que a saúde como um todo é mais importante do que a perda de peso. “Um dos grandes tabus relacionados à vida saudável é que você precisa ser magro para ser saudável, o que nem sempre é verdade. Levar uma vida saudável é a junção de um sono de qualidade, saúde psicológica, exercícios físicos e alimentação balanceada”, diz Matheus Motta, responsável pelo programa WW no Brasil. “Quando balanceamos esses aspectos em nossas vidas, a manutenção do peso vem naturalmente.”

Mudanças acontecem em parceria

Outro ponto importante destacado pelo estudo é que uma parte dos entrevistados (26%) dizem que não acreditam ser possível gerar mudanças no seu estilo e qualidade de vida sem o apoio de outra pessoa. No entanto, na contramão disso, ainda existem 21% de pessoas que estão inclinadas a utilizar métodos como dietas da moda ou programas de emagrecimento por conta, sem um acompanhamento médico. 

“A busca por uma vida saudável é um tema sempre em alta na vida dos brasileiros. O importante é compreendermos a importância em buscar profissionais que auxiliam nesse caminho, e evitar seguir dietas extremas que muitas vezes não oferecem os nutrientes necessários que o corpo precisa para se manter funcional”, explica Matheus. 

O impacto da pandemia

De forma mais direcionada, os brasileiros participantes do estudo se mostraram também muito preocupados com os efeitos da pandemia na qualidade de vida, em especial a falta de atividade física (e, como consequência, o ganho de peso e a sedentariedade), e o impacto do isolamento na saúde mental. 

Continua após a publicidade
Publicidade