Rafaela Silva sofre racismo e desabafa: “Isso vai até aonde?”

O táxi em que a judoca estava foi abordado por policiais no Rio de Janeiro, que achavam que ela estava vindo da favela

Por Camila Junqueira, Gislene Pereira - Atualizado em 23 fev 2018, 17h49 - Publicado em 23 fev 2018, 17h44

Na última quinta-feira (22), a judoca Rafaela Silva sofreu uma dura situação de racismo, denunciada por ela em suas redes sociais. A campeã olímpica – primeira brasileira a conquistar o ouro na modalidade, em 2016 – havia acabado de chegar ao Rio de Janeiro e pegou um táxi para ir do Aeroporto Internacional do Galeão até sua casa, em Jacarepaguá. Porém, no caminho, o veículo em que estava foi parado por policiais militares, que abordaram tanto o motorista quanto a atleta.

No Twitter, Rafa desabafou e comentou o episódio. Segundo a judoca, os policiais só a liberaram quando perceberam que ela era “aquela da Olimpíada”.

Até então, Rafa não tinha notado a aproximação da viatura da Polícia Militar e continuou mexendo no celular, distraída. Quando o carro ligou a sirene, o taxista encostou e foi chamado de lado para prestar esclarecimentos. Nisso, outro policial pediu para que a carioca saísse do veículo e começou a fazer perguntas.

Rafa disse que não trabalhava, que era atleta. Foi aí que os policiais a reconheceram: “Você é aquela da Olimpíada, né?”.

Rapidamente, a viatura foi embora. Rafa perguntou ao taxista o que tinha acontecido e ele explicou que os policiais achavam que ele havia buscado a judoca na favela.

Continua após a publicidade

Indignada e constrangida, Rafa disse que muitas pessoas pararam para ver a abordagem e encerrou o relato com uma frase importante. “Esse preconceito vai até aonde?”.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das últimas notícias de BOA FORMA

Rafa já declarou ser vítima de racismo em outras ocasiões. Nascida na comunidade Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, ela entrou para o judô com o intuito de se afastar dos perigos das ruas. Mesmo assim, ela ainda sofre preconceito do público, seja na internet ou nas ruas, por sua cor de pele.

Continua após a publicidade
Publicidade