Café com proteína é o pré-treino que todos sonhávamos?

A combinação da bebida queridinha dos brasileiros com o suplemento, para um treino físico mais intenso e focado, tem ganhado espaço no exterior

Por Marcela De Mingo Atualizado em 13 jan 2022, 15h06 - Publicado em 22 jan 2022, 08h00

O café é uma bebida queridinha do brasileiro – até mesmo para a hora dos treinos! Conhecido como um potencializador na academia, ele tem função até mesmo na hora da musculação. Porém, em alguns países do mundo vemos surgir uma nova tendência que pode pegar por aqui também: o protein coffee, ou seja, o café com proteína. 

Café e proteína: separados, como ajudam no treino? 

Por si só, o café é um aliado no pré-treino, já que é um estimulante natural. “Nele, encontra-se a cafeína, que é considerada um termogênico, ou seja, ajuda no gasto calórico, aumenta a energia durante os exercícios, minimiza a fadiga e auxilia na perda de gordura“, explica Thalia Gutierrez, nutricionista clínica no Hospital São Cristóvão Saúde. “Além disso, é isento de calorias e possui excelentes vitaminas e minerais. Assim, pode ser considerado fonte de antioxidantes, que é essencial para aumentar a imunidade e manter o organismo em bom funcionamento.”

Aqui entra uma informação, claro, que você já sabe: apesar de todos esses benefícios, o café deve ser consumido em um volume adequado (não mais que três xícaras ao dia, em média), inclusive para que tenha uma função positiva no treino. 

Já a proteína é uma queridinha de quem malha. No pré-treino, consumir alimentos ricos em proteínas ou suplementos que podem ser misturados à água ou batidos com frutas ajuda no ganho de massa. Principalmente, é importante para a recuperação muscular após a prática da atividade física. 

Alguns alimentos proteicos são bem conhecidos, como as carnes vermelha e brancas, além do leite e seus derivados. 

“Os suplementos também são uma opção, caso suas necessidades não sejam atingidas apenas com os alimentos”, explica a nutricionista. “Mas, é importante destacar que os suplementos não são indicados para todos, visto que cada um possui a sua necessidade. É preciso de uma conduta profissional para inclui-los na dieta.”

Continua após a publicidade

Proffee: a mistura de café com proteína funciona? 

Apesar de inusitada, em um primeiro momento, a junção do café e da proteína pode, sim, melhorar e intensificar a performance nos treinos, aumentando a energia e a concentração para realizar os exercícios, retardando a fadiga, melhorando o aporte de nutrientes nos músculos, estimulando o gasto energético, ajudando na queima de gorduras e reforçando o sistema imune. 

No entanto, apesar de parecer incrível, é preciso cuidado no consumo desse mix. “Há malefícios. O consumo em excesso do café pode causar diversos problemas, como: insônia crônica, taquicardia, alterações no sistema nervoso, hipertensão arterial e crises de ansiedade. Já a proteína em excesso pode sobrecarregar os rins, ocasionar problemas no fígado, aumentar o risco de doenças cardiovasculares e acelerar possíveis doenças renais. Então, é melhor evitar o excesso de ambos”, diz Thalia. 

Afinal, como saber qual o melhor pré-treino? 

Se a mistura de café com proteína, ou “proffee”, como tem sido chamado lá fora, parece demais para você… fique tranquila! Existem formas mais simples – e naturais – de escolher um bom pré-treino para acompanhar as suas práticas de atividades físicas. O ideal é sempre buscar um nutricionista que entenda e crie uma rotina alimentar de acordo com as suas necessidades, já que a alimentação é fundamental para se obter os resultados esperados com a rotina de treinos. 

“Além disso, é importante ter horas de sono adequadas e garantir uma boa hidratação. Consumo de água e estar bem descansado são fatores importantes”, diz a profissional. 

Outro ponto para sempre ter em mente é que um treino físico exige energia – que pode ser facilmente encontrada na alimentação. Somado à proteína, é preciso manter uma dieta rica em macronutrientes, que vão colaborar para o ganho de massa muscular, a definição do corpo ou o emagrecimento. 

“Um exemplo de um pré-treino qualitativo: pão integral (carboidrato), ovos mexidos (proteína), castanhas (lipídios) e café com leite (termogênico + proteína)”, sugere ela. “Lembre-se que as quantidades de cada alimento devem seguir a intensidade e o tipo do seu treino, rotina alimentar e objetivo. Consuma seu pré-treino pelo menos 30 minutos antes de se exercitar.” 

Continua após a publicidade

Publicidade