Vida real: “Perdi 18 quilos em 3 meses e venci o efeito sanfona”

Vítima do efeito sanfona, Cecília Paterno sabia perder peso, mas não conseguia manter. Com uma dieta proposta pela BOA FORMA, ela deu o primeiro passo

Por Daniela Bernardi e Marina Campos Atualizado em 17 fev 2020, 15h16 - Publicado em 17 jun 2017, 08h00

Três de janeiro de 2014 foi a data em que meu mundo se transformou completamente. Não só porque resolvi que mudaria a relação com meu corpo mas também por causa de tudo que essa decisão trouxe: um shape que adoro, um estilo de vida saudável, amor-próprio e até um novo emprego.

Nesse dia, ao voltar de viagem, não consegui vestir nenhuma roupa – até as calças que considerava grandes não entravam mais! Nunca fiquei tão deprimida. Não que essa tenha sido a primeira vez que me senti insatisfeita com meu corpo. Desde os 15 anos, vivia num efeito sanfona. Todo ano (sempre próximo a algum evento importante), me jogava de cabeça em uma dieta doida e emagrecia muitos quilos ( já fiz a da fruta, a da sopa, a do atum…).

Só que logo depois voltava para a banana split, a coxinha, o pão de queijo e os coquetéis. As consequências dessa alimentação desregrada eram sentidas fora do espelho – vivia indisposta e tinha dores de cabeça constantes. Quando corria, acabava o treino completamente exaurida.

Leia mais: Dona de casa emagrece 42 kg em cinco meses só com caminhada

Cecilia-Paterno-eu-consegui-Boa-Forma
Eduardo Svezia/BOA FORMA

Desta vez, queria fazer diferente e seguir um cardápio saudável. Encontrei a matéria Dieta da Proteína Enxuga 7 Kg em 14 Dias, na BOA FORMA, e decidi experimentar. Em duas semanas, perdi 7 quilos. Mas, depois de um tempo, começou a ficar difícil evitar o leite com achocolatado que tomava de manhã. [risos] Então, procurei uma nutricionista, que montou um cardápio com base no publicado pela revista – rico em carboidrato de baixo índice glicêmico e proteínas magras. Aprendi a substituir os docinhos por sorvete de whey, a trocar a cerveja por drinques não alcoólicos e a deixar a macarronada para o domingo. Segui as orientações dela até o fim de 2015, quando já havia perdido 15 quilos.

Leia mais: Ela driblou os sintomas da menopausa precoce com esportes e um cardápio mais saudável

Mas, para minha surpresa, ao longo de 2016 engordei t-u-d-o o que havia secado. É difícil explicar o que aconteceu. Me sentia tão confortável que achei que poderia liberar as guloseimas. Voltei a beber com frequência, os jantares fora de casa viraram rotina e as sobremesas fit caíram no esquecimento. Para não encarar a realidade, parei de comprar roupas e passei a evitar o espelho.

Até que, em novembro do ano passado, conheci o Pronokal, um método para perda de peso que entrega os alimentos em casa. Acabei me apaixonando pela praticidade do programa, ideal para mim, que vivo na rua e não tenho tempo de cozinhar.

Continua após a publicidade

Na mesma época, resolvi complementar minha rotina fitness. Sempre adorei correr (terminei uma meia maratona pesando quase 90 quilos!) e faço cerca de 20 km por semana. Adicionei a musculação dois dias na semana e, agora, conto com a ajuda de um personal trainer. Ele me incentiva e nunca me deixa faltar!

Leia mais: Esta mulher emagreceu 40 Kg em 1 ano e meio com dieta sem glúten e lactose e exercícios funcionais

Desde então, perdi 19 quilos e meu percentual de gordura caiu de 35 para 18%. Faço exercícios quatro vezes por semana e, mesmo quando não estou com os alimentos da dieta na bolsa, procuro fazer boas escolhas – almoço legumes com uma proteína magra, deixo os carboidratos de baixo índice glicêmico para o pré-treino e tomo iogurte para disfarçar a fome durante a tarde. Faço cerca de duas refeições livres por semana e deixo os drinques para as ocasiões especiais.

Não foi só meu corpo que mudou: resolvi criar um blog (www.detopporai.com) para dividir minha história, conquistei mais de 50 mil seguidores em minha conta do Instagram e fundei uma assessoria de marcas fitness e saudáveis. Sou infinitamente mais realizada profissionalmente do que era antes e sinto que posso finalmente dizer que superei o efeito sanfona e que estou de bem com quem eu sou – por dentro e por fora!”

Três dicas de Cecília para vencer o efeito sanfona

1. Receba ajuda
“Fazer uma reeducação alimentar não é nada fácil, em especial se as pessoas ao seu redor não facilitam. Peça para que elas sejam compreensivas e incentivem você.”

2. Encontre uma dieta que se encaixe
“Não adianta se propor a seguir uma dieta rica em ovos se você não é chegada no alimento. Eleja o cardápio que combina com seu paladar e com seu estilo de vida.”

3. Pense no que fez você começar
Para não perder o foco, todos os dias de manhã eu me lembro de como era infeliz com meu shape anterior.”

  • Continua após a publicidade
    Publicidade